Na semana passada, a estudante mineira Bárbara Paiva, do curso de engenharia da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), estava concorrendo a um prêmio internacional por criar uma garrafa capaz de tornar qualquer água imprópria para o consumo humano em potável.

E bem, ela ganhou!

A garrafa que cabe na palma da mão e utiliza energia não-poluente para fazer a purificação venceu 443 equipes de todo o país, cruzou fronteiras para disputar a tão esperada final com outras ideias de alunos de 44 países e derrotou cada uma delas.

Em suma, o torneio teve seus ganhadores anunciados no domingo passado (27) em Istambul, na Turquia, e Bárbara foi a grande vencedora!

Leia também: Lady Gaga é aplaudida por auxiliar cantora de muletas a subir no palco do Grammy 2022

De início, a estudante universitária ganhou a etapa nacional com a tecnologia que produz água esterilizada por meio da radiação, com filtro carregado a partir da luz solar (que não gera poluentes).

Agora, aproveitando a cobertura da mídia, Bárbara tem participado de eventos e palestras com mentores, líderes, empresários e visionários do mundo todo para democratizar e levar sua descoberta a outros países.

Antes do anúncio final, Bárbara aproveitou uma imersão com eventos e palestras que contam com a participação de mentores, líderes, empresários e visionários de diferentes nacionalidades.

Para um dos jurados, a ideia tem o potencial de transformar nossa sociedade, uma vez que pelo menos 35 milhões de brasileiros não tem acesso ideal à água potável.

Assim, a inovação promete avanço social e dignidade às milhares de famílias que vivem em condição de vulnerabilidade.

Em defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade!

Leia também: “Eu venci o câncer, sou um milagre”: ele vence sua doença e sai do hospital radiante

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

Fonte: RPA

RECOMENDAMOS