Nathália, de apenas 25 anos, está desaparecida há várias semanas após viajar para a Tailândia, país do sudeste asiático.

De acordo com seus familiares, a jovem recebeu uma oferta de trabalho, que mais tarde se revelaria um golpe.

Ao portal R7, seus pais disseram que ela virou refém de uma quadrilha internacional especializada em tráfico humano assim que desembarcou.

Nathália foi então transferida para Myanmar, um país vizinho, e obrigada a aplicar golpes virtuais seduzindo vítimas a gastar milhares em criptomoedas.

Saiba mais assistindo à reportagem abaixo (clique aqui caso o vídeo não abra):

Incorporação: <iframe src=”https://player.r7.com/video/i/636ec8b71df97b4067000180″ width=”640″ height=”360″ frameborder=”0″ loading=”lazy” allowfullscreen>

Leia também: Filho de Gal Costa afirma que só no velório da mãe compreendeu que ela era uma das maiores cantoras do Brasil

A exploração física e o abuso degradante e forçado são as principais características do tráfico de pessoas.

À luz da legislação brasileira, o crime é passível de pena de até 8 anos de prisão e prevê que, mesmo quando as vítimas “concordam” com as situações, cabe pena e punição.

No estado do Paraná, segundo levantamento recente, 199 pessoas foram resgatadas do tráfico humano apenas em 2021.

Os números contrastam com a rigidez da política nacional de combate ao tráfico humano em nosso país. Para as autoridades, os casos são bastante subnotificados e uma repressão mais forte, aliada à campanhas de conscientização, deve ser priorizada.

Como denunciar

O Disque Denúncia pode ser acionado também para casos de tráfico ou exploração de pessoas e funciona pelo número 181. Denúncias também podem ser encaminhadas no Paraná pelo e-mail [email protected]

Leia também: A causa da morte de Gal Costa será mantida sob sigilo; saiba por quê

Fonte: R7

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS