Após inúmeras polêmicas e ações judiciais, a Johnson & Johnson (J&J) anunciou que irá deixar de fabricar e comercializar pó de talco para bebês em todo o mundo a partir do ano que vem.

A decisão vem dois anos depois que a multinacional encerrou as vendas do produto nos EUA.

De lá pra cá, a J&J recebeu dezenas de milhares de processos de mulheres que alegam que seu pó de talco continha amianto – substância potencialmente cancerígena.

O famoso talco para bebês é muito usado para prevenir assaduras e para usos cosméticos, inclusive como xampu seco.

Leia também: Dia dos Pais: repórter descobre ao vivo que vai ter um menino e se emociona [VIDEO]

Ele é encontrado na natureza como um mineral argiloso, composto de silicato de magnésio hidratado. O talco em pó, muitas vezes combinado com amido de milho, é usado como talco de bebê. Este mineral é usado como agente espessante e lubrificante. É um ingrediente em cerâmica, tinta e material de cobertura, além de cosméticos.

O talco é extraído da terra e é encontrado em camadas próximas às do amianto, que é um material conhecido por causar câncer.

De acordo com uma investigação de 2018 liderada pela agência de notícias Reuters, a J&J sabia há décadas que o amianto estava presente em seus produtos de talco.

Em contraparte, a empresa reiterou sua posição de que décadas de pesquisas independentes mostram que o produto é seguro. “Nossa posição sobre a segurança de nosso talco cosmético permanece inalterada.”

“Sustentamos firmemente décadas de análises científicas independentes de especialistas médicos de todo o mundo que confirmam que o talco Johnson’s à base de talco é seguro, não contém amianto e não causa câncer”, afirmou em comunicado. “Como parte de uma avaliação de portfólio mundial, tomamos a decisão comercial de fazer a transição para um portfólio de talco para bebês à base de amido de milho”.

Leia também: Jovem aprovado em 28 universidades por causa de Fortnite vai fazer faculdade nos EUA

Fonte: O Progresso

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS