A doação de órgãos é uma questão que ainda divide as pessoas pela sensibilidade do assunto e pelos motivos mais específicos que cada indivíduo carrega consigo.

Porém, o ato de herdar uma parte do corpo que pode servir a outra pessoa é um gesto tremendo e cheio de generosidade, porque a vida se trata de doar e ajudar o próximo.

Ocorreu um caso no Chile que demonstrou isso com um belo exemplo. José era um homem que morava na cidade de Osorno, que morreu aos 36 anos devido a um acidente vascular cerebral hemorrágico. Ele era uma pessoa muito trabalhadora e atlética que, ainda em vida, concordou totalmente em doar seus órgãos para aqueles que deles precisassem quando morresse. “Ele sempre disse que se algo acontecesse com ele, doasse tudo”, disse sua mãe.

O irmão de José, Marcelo, recebeu um rim de sua mãe há 11 anos. Isso foi o que motivou seu irmão Claudio e José sobre a ideia de doar órgãos que podem salvar a vida de muitas pessoas. “Conversamos sobre essa questão, então concordamos que, tudo que serve, até os dedos, deva ser doado (…) Foi um pacto entre irmãos”, disse Cláudio.

Para incentivar a doação, a Base Hospitalar San José de Osorno informou por meio de um vídeo em seu Facebook que graças aos órgãos doados por José, 7 pessoas se beneficiaram com seu coração, pulmão, fígado, rins e córneas.

Leia também: ‘Tenho varizes, cabelos brancos, celulite’, afirma, em live, Samara Felippo

É desejável que se crie mais consciência sobre isso, porque trata-se de algo vital e humano. “Há quanto tempo há pessoas que esperam por um órgão e pessoas às vezes por egoísmo, não dão, não dão ou a família se opõe”, disse María, a mãe de José, no relatório publicado pelo hospital.

Devemos aprender a colocar o egoísmo de lado e aprender a ter empatia quando a vida do outro pode estar em nossas mãos.

Leia também: Jovem arrecada dinheiro para pagar universidade se fantasiando de Kiko: ‘Conquistou a clientela’

Fonte: Meganotícias

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS