Homenagens foram prestadas a uma médica de combate e mãe que foi morta lutando contra as tropas russas na Ucrânia.

Olga Semidyanova foi fatalmente ferida durante um tiroteio na cidade perto de Donetsk, no sul do país, e foi relatado que a mulher de 48 anos continuou lutando depois que grande parte de sua unidade foi morta.

De acordo com a família de Semidyanova, ela foi morta com um tiro no estômago, mas seu corpo ainda não foi recuperado por causa dos contínuos combates na área, que deixaram sua família perturbada.

Leia também: Jogador da NBA doará 100% do seu salário para construir um hospital no Congo, sua terra natal

Sua filha, Julia, disse ao jornal The Sun: “Ela salvou os soldados até o fim. Temos fotos do local da morte, mas devido à luta intensa ainda não podemos enterrar minha mãe.

A médica, que tinha o título honorário de ‘Mãe Heroína’, servia nas forças armadas desde 2014 e foi morta na fronteira entre os oblasts de Donetsk e Zaporizhzhia em 3 de março, informou o Kyiv Independent.

A mulher de 48 anos tinha seis filhos, mas também adotou mais seis crianças de um orfanato local. Ela morava na cidade de Marhanets, que ficava a cerca de 240 quilômetros de onde foi morta no início deste mês.

O título Mãe Heroína é dado às mulheres que tiveram mais de cinco filhos.

Homenagens surgiram após a notícia de sua morte, liderada por membros do governo ucraniano.

Anton Gerashchenko, um conselheiro do Ministério do Interior do país, disse ao Sun: “Ela foi morta em um confronto com mercenários russos. Mesmo quando ela acreditava que seu regimento poderia não sobreviver, ela enfatizou seu desejo de proteger o país até o fim. Ela é uma heroína nacional. Ela é uma heroína para mim”.

Leia também: Professora “pune” alunos com agachamentos caso eles não façam a lição de casa [VIDEO]

Fonte: UOL

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS