Em meio à guerra que se desenrola na Ucrânia, a Dra. Matilde Leonardi, diretora de um hospital em Milão, compartilhou uma tocante história em suas redes sociais onde conta a história da Irmã Giustina Holubert.

“Ela está aqui esta noite, enchendo de amor os últimos dias de criancinhas como aquela em seus braços, durante a guerra. Você só pode rezar e cumprir seu dever, ela me disse. Sim à vida”, disse Matilde.

Leia também: Criança de 9 anos foge de casa, entra escondido em avião e viaja de Manaus para Guarulhos

No post, ela discorre:

“Irmã Giustina Holubert, geneticista e psicóloga do Centro de Genética Médica de Lviv, Instituto de Patologia Hereditária, Nacional. Academia Ucraniana de Ciências Médicas, Presidente do Hospital de Cuidados Paliativos Perinatal da Marca da Vida, e minha amiga e colega da Pontifícia Academia da Vida. Ela me enviou esta foto hoje à noite, de Lviv, onde mora e trabalha com bebês que têm doenças terminais muito graves. Ela fundou o primeiro e único hospital para cuidados paliativos e terminais desses recém-nascidos na Ucrânia.

Para quem quiser saber mais, postei as fotos de um artigo detalhado onde ela explica o que faz como geneticista e também como diretora do hospital. Ela está aqui esta noite enchendo de amor os últimos dias de criancinhas como aquela que ela segura em seus braços, durante a guerra. Você só pode rezar e cumprir seu dever, ela me disse. Sim à vida. Irmã Justine é uma das heroínas da minha vida ❤️”, completou.

Após exaltar o trabalho da religiosa, a neurologista complementou: “A Ucrânia não é apenas um self-service de barrigas de aluguel! Esta terra vasta e ferida é também um campo onde alguém coloca sementes e elas germinam”.

Uma verdadeira heroína, dedicada à causa humanitária e à assistência das inúmeras vítimas deste mundo, sobretudo na guerra.

Leia também: Ucrânia convida mães de soldados russos capturados para buscá-los

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

Fonte: Aleteia

RECOMENDAMOS