Do site Independent

Uma notícia tem rodado o mundo e trazido grande perplexidade nas redes sociais. Um elefante no leste da Índia matou uma mulher de 70 anos e depois voltou ao seu funeral para pisotear seu cadáver.

O incidente ocorreu no estado de Odisha na quinta-feira, disse a polícia.

Maya Murmu estava em um poço puxando água na vila de Raipal, no distrito de Mayurbhanj, quando o elefante selvagem apareceu do nada.

Autoridades disseram que ele se desviou do santuário de vida selvagem de Dalma, a quase 200 quilômetros de Mayurbhanj.

Depois de ser pisoteada, Murmu foi levada ao hospital, onde morreu devido aos ferimentos, disse o policial Lopamudra Nayak à agência de notícias Press Trust of India.

Relatos disseram que quando os membros da família se reuniram para o funeral e estavam no meio da realização dos últimos ritos, o mesmo elefante apareceu, levantou o corpo de Murmu da pira funerária e o pisoteou novamente, enquanto os enlutados olhavam chocados.

A família só pôde prosseguir com a cerimônia depois que o elefante foi embora. Ainda não está claro se o animal prejudicou alguém presente.

Conflitos entre elefantes e humanos são uma ocorrência comum em Odisha. A atividade industrial intensiva no estado rico em minerais aumentou a invasão humana em habitats de animais, aumentando as chances de encontros entre aldeões e elefantes.

Leia também: Manada de elefantes comparece ao funeral de seu tratador

Uma tendência preocupante no estado também tem sido um aumento no número de mortes não naturais de elefantes . Pelo menos 1.356 elefantes morreram em Odisha desde 2000-01, de acordo com dados fornecidos pelo chefe do guarda de vida selvagem do estado, informou a agência de notícias IANS.

Pelo menos 42 mortes de elefantes foram registradas no estado em apenas sete meses, de abril a outubro do ano passado.

Muitos outros incidentes de conflito humano-elefante foram relatados em outras partes do país.

Leia ainda: Um elefante bebê tenta se esconder atrás de um poste de luz na Tailândia. Foi pego “roubando”

Fontes: Independent e Yahoo

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!