Antes do sol raiar, o vigilante José Borges da Costa, de 53 anos, já está de pé para fazer o café e acordar todos os filhos, que vão à escola no mesmo turno. Em seguida, ele lava as roupas, adianta a o almoço e só depois vai trabalhar.

A rotina puxada de José é para dar conta de todos os cuidados e necessidades que os sete filhos precisam – todos eles menores de idade.

O pai assumiu a missão de criar as crianças após se divorciar: “São a minha vida, a minha paixão”, contou.

Leia também: Dia dos Pais: repórter descobre ao vivo que vai ter um menino e se emociona [VIDEO]

Apesar da correria e dos desafios do dia a dia, José está sempre sorridente. Os filhos – Thiago e Daniel (gêmeos), 15, Manuela, 13, Gabriela, 12, Alexia, 10, Letícia, 8, e Valentina, 6, – são sem dúvida sua maior fonte de alegria.

O pai é solo há dois anos, desde que se divorciou. Nesse meio-tempo, entrou na Justiça e conseguiu a guarda dos filhos.

Como um legítimo faz-tudo, José tem várias profissões, sempre que surge um bico: é pedreiro, encanador, eletricista, pintor, carpinteiro e cozinheiro das culinárias brasileira e japonesa.

Hoje em dia, trabalha como guarda no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e recebe cerca de R$ 1,5 mil todo mês – quantia quase exata utilizada para pagar todas as despesas.

Quase nunca sobra alguma coisa. “O desafio é muito grande, nunca pensei que passaria por isso. Mas são meus filhos e eu não posso abandoná-los. Como pai, se eu não puder proteger, quem vai? Deus me deu e vai dar condições de cuidar. O que eu posso dar, eu dou. Eu não trabalho para mim, trabalho para eles”, disse.

“A melhor parte é poder ficar junto com eles, cuidar deles, ensinar as tarefas, o que eu sei eu ensino. Não consigo ficar longe”, complementa.

No final das contas, para José, vale a pena lutar para dar uma vida melhor aos filhos. Seu maior sonho, ele conta, é vê-los se dedicando aos estudos, até se formarem em um curso superior.

“O que eu espero é que eles consigam terminar os estudos, façam curso que eles sonharem. Eles querem ser policial, médico, advogado, dentista. Eu falo: ‘tem que estudar, porque a única coisa que posso deixar é o estudo’. Se eu deixar isso para eles, ninguém tira”, completou.

Assista ao vídeo:

Leia também: Jovem aprovado em 28 universidades por causa de Fortnite vai fazer faculdade nos EUA

Fonte: Portal Surgiu

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS