Miguelzinho tem apenas 6 anos e nasceu sem braços e pernas por conta de uma malformação congênita. Seu pai o rejeitou e não quis registrá-lo, dizendo que “não faz filho defeituoso”.

A mãe do menino, Rivania Gomes, 26, pede ajuda urgente para comprar uma cadeira especial motorizada para Miguel, além de recursos para adaptar a casa, em Fortaleza (CE), uma vez que o menino não consegue acessar nenhum cômodo ou móvel, como o sofá, a cadeira e a cama.

O site de vaquinhas VOAA lançou uma campanha para a compra da cadeira adaptada para Miguel, já que no momento, segundo os médicos da AACD, ele ainda precisa crescer mais para uso de próteses.

Leia também: Como criar vídeo artístico e destacar a sua empresa da concorrência

Hoje, o menino se locomove arrastando-se ou girando o corpo no chão com grandes dificuldades.

Caso a meta da vaquinha seja batida, será possível adaptar o banheiro da casa e adquirir uma cadeira higiênica para facilitar o banho.

Em entrevista ao portal Razões Para Acreditar, a família contou que mora numa casa própria simples. Rivana e o marido Wellington criam Miguel e mais dois filhos pequenos de 8 e 4 anos com o trabalho de catadores de recicláveis e com um pequeno benefício do filho. Tem dias que faltam alimentos e fraldas.

“Ele é uma criança feliz e sorridente, quando perguntam a ele porque não tem os braços e pernas, ele responde rindo: Porque Papai do Céu quis assim. Ele fala que quando crescer quer ser policial, admira demais essa profissão”, contou a mãe.

Essa história chegou até a VOAA pela Joana do IPREDE (Instituto Primeira Infância) e pelo Victor do projeto Canudos. São eles que estão à frente da campanha e ajudarão na administração de valores, acompanhamento e desfecho da história.

Leia também: Como a indústria de apostas desportivas evoluiu durante a pandemia de Covid-19

Clique aqui para acessar o site da vaquinha e conhecer a campanha.

Fonte: VOAA

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS