A história do filme se passa no final da Primeira Guerra Mundial e é fruto da mente de D. H. Lawrence, que o escreveu a novela ‘O Amante de Lady Chatterley’, em 1928.

Sobre o livro

Quando escrito, a paixão e as intimidades explícitas marcaram de modo escandaloso os seus leitores e acaloradas foram as suas críticas. Fala da paixão e sexo entre a esposa de um aristocrata e seu empregado. O marido ficara paraplégico quando esteve na guerra. Como o marido ansiava por um herdeiro, sugeriu ele próprio à sua esposa que escolhesse um homem discreto e dele engravidasse, já que quando aquele não podia mais engravidá-la.

Com inspiração na vida do próprio escritor e sua esposa, o livro com descrições detalhadas de relações sexuais e linguagem vulgar demoraria a ser publicado na íntegra em seu país de origem, mas acabou entrando para a lista de clássicos da literatura mundial por celebrar a sexualidade feminina e ganhou inúmeras adaptações cinematográficas desde então.

Logo abaixo, caso você tenha interesse, trouxemos uma análise da obra que ficou excepcional, do canal de Tatiana Feltrin:


O filme

‘O Amante de Lady Chatterley (Lady Chatterley´s Lover)’ estreou recentemente na Netflix e já se encontra entre os mais vistos. Foi dirigido por Laure de Clermont-Tonnerre e com Emma Corrin no papel da protagonista Connie Reid, que se casa com Clifford Chatterley (Mathew Duckett). Na guerra, a tragédia faz com que o senhor Chatterley fique paraplégico e impotente, o que faz com que a sua esposa se torne a sua cuidadora.

Ao ser surpreendida por uma sugestão do marido de que ela engravidasse de outro homem de sorte a prover a ele um herdeiro, Connie deixa fluir os desejos que reprimia pelo guarda-caça Oliver Mellors (Jack O´Connel).

A partir de então, as cores e os amores dão o tom da película, onde o desejo, pouco a pouco, se faz permear de afeto, ternura e empatia mútuas.

Abaixo, segue o trailer do filme:

Veja também: Continência ao Amor: um belíssimo filme da Netflix

Atemporal
Fazendo uso de uma fotografia inicialmente em cores frias, a insegurança de Connie vai aos poucos se tornando uma certeza inquebrantável dos sentimentos que afloram por Oliver. Ainda mais ao perceber a desumanidade crescente com que o marido trata aqueles que mantêm sua riqueza.

Os amantes dos clássicos e dos romances atemporais devem revisitar tanto o livro quanto o filme e ficarão inebriados, com toda a certeza.

Você já assistiu ao filme ‘O Amante de Lady Chatterley’? Queremos saber a sua opinião sobre o filme.






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!