Dezoito anos e pouco mais de 300 episódios após seu lançamento no canal Channel Five, “Peppa Pig” conheceu pela primeira vez um casal homoafetivo.

Na última terça-feira (6), a porquinha interagiu com as duas mães da personagem “Penny Polar Bear” no episódio “Families”.

Em certo momento, enquanto desenhava um retrato da família, Penny Polar Bear explicou: “Eu moro com minha mamãe e com minha outra mamãe. Uma mamãe é médica e outra mamãe cozinha espaguete.”

Peppa está no ar desde 2004 e foi criada pelos animadores britânicos Mark Baker e Neville Astley.

Em 2020, uma petição online foi criada pedindo que o desenho exibisse uma “família de pais do mesmo sexo na Peppa Pig”. Cerca de 25 mil pessoas assinaram.

“As crianças que assistem a ‘Peppa Pig’ estão em uma idade influenciável”, escreveram os criadores da petição. “Excluir famílias do mesmo sexo vai ensiná-las que apenas famílias com um pai ou mãe ou dois dois pais de sexos diferentes são normais.”

Para Robbie de Santos, diretor de comunicações e assuntos externos da organização de direitos LGBT Stonewall, ver uma família homoafetiva no desenho animado britânico foi “fantástico”.

“Muitos daqueles que assistem ao programa têm duas mães ou dois pais. Será muito significativo para esses pais e filhos que suas experiências sejam representadas em um programa infantil tão icônico”, disse Santos à BBC.

Assim, Peppa Pig se une a outros desenhos consagrados mundialmente, como ‘Hora de Aventura’, ‘Steven Universo’ e ‘Arthur’ que exibiram relacionamentos LGBT com naturalidade.

RECOMENDAMOS