O estado do Rajastão, na Índia, declarou nesta quinta-feira (20), uma epidemia local causada pelo fungo negro – ou mucormicose.

Segundo informações do jornal ‘The Hindu’, a doença passa a ser de ‘notificação obrigatória’ em instituições hospitalares públicas e privadas.

Nas últimas semanas, houve um aumento do número de casos de pacientes diagnosticados com a Covid-19 que também foram infectados com o fungo negro.

Recentemente, o estado indiano de Telangana também declarou epidemia.

Leia também: Alok oferece ajuda às famílias carentes de reportagem do ‘Profissão Repórter’

Conforme explica o Manual Merck de Medicina, a mucormicose é contraída quando os esporos produzidos por bolor são inalados.

Trata-se de uma doença não transmissível entre pessoas. No entanto, a infecção causa dor, febre e tosse e pode destruir estruturas no rosto – uma vez que afeta o nariz, olhos, pulmão e cérebro.

Os diabéticos e imunodeprimidos são mais vulneráveis à doença, que pode levar à morte.

Leia também1 morte a cada 19 segundos: Índia supera EUA e bate recorde lamentável de óbitos por Covid

Pelo menos 100 pacientes com Covid-19 também estão com fungo negro. Acredita-se que a doença tenha vindo dos suportes de oxigênio por meio de cilindros.

De acordo com o ‘The Hindu’, eles estão isolados em uma ala do hospital público Sawai Man Singh.

O secretário de saúde Akhil Arora afirmou que o “tratamento está sendo feito de forma integrada e coordenada à covid-19”.

A Revista Pazes apoia as medidas sociais de isolamento.
Se puder, fique em casa. Evite aglomerações. Use máscara.
Quando chegar a sua vez, vacine-se.
A vida agradece!

Compartilhe o post com seus amigos!

RECOMENDAMOS