Há décadas cientistas anteciparam o que hoje vivenciamos, trazendo um alrta global para que medidas fossem tomadas para evitar essa calamidade, contudo nem os governo nem a população em geral demonstraram interesse em corrigir as ações que acarretaram tais problemas.

Cientistas preocupados com a emergência climática
Os cientistas têm a obrigação moral de alertar a humanidade de qualquer grande ameaça. Pelos dados que temos, fica claro que estamos enfrentando uma emergência climática ”, disse o cientista ambiental Thomas Newsome.

O documento “Alerta dos cientistas mundiais sobre uma emergência climática” explora quatro décadas de dados disponíveis ao público. E embora sua primeira publicação seja de abril de 1997, atualmente tem signatários com cientistas de mais de 150 países diferentes.

Suas páginas falam sobre uso de energia, temperatura da superfície, população, desmatamento, gelo polar, taxas de fertilidade e emissões de carbono. Como fatores a ter em conta e que de alguma forma contribuíram para o atual estado de emergência climática.

“A crise climática chegou e está se acelerando mais rápido do que a maioria dos cientistas esperava. É mais grave do que o previsto, ameaça os ecossistemas naturais e o destino da humanidade”, escreveram os autores do documento.

Entre suas conclusões, são exploradas soluções e algumas das ações que mais impactam o clima. Por exemplo, o aumento da produção de carne, o incessante abate de árvores, as taxas variáveis ​​de natalidade e as constantes emissões de carbono para o meio ambiente.

“Apesar de 40 anos de importantes negociações globais, geralmente conduzimos os negócios como de costume e essencialmente não estamos tratando dessa crise”, disse o ambientalista William Ripple.

Fonte: BioScience

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!