O fim do ano anda cada vez mais próximo e já é possível notar toda a ansiedade, nervosismo e preparo mental e psicológico dos alunos que realizarão provas de vestibular nos próximos meses em todo o Brasil.

Não obstante, a prova de vestibular é um dos momentos mais importantes da vida de um jovem estudante, onde ele deverá decidir qual caminho trilhar, profissionalmente, pelos próximos anos de sua vida.

Portanto, a prova de vestibular costuma exigir mais do que apenas o domínio das matérias e possíveis questões da prova, mas também requer muito preparo físico, emocional e, principalmente, psicológico para enfrentar cerca de 6 horas de prova.

Ainda, que atire a primeira pedra o aluno que nunca ouviu de um professor ‘’vocês já sabem este conteúdo então vou só passar por cima.’’

De maneira mais específica, na área de português e redação, uma das mais importantes para o sucesso no vestibular, explicamos anteriormente a você o que é poesia e o que é poema, como exemplo, também pode ter sido ouvido por diversos alunos.

Pensando neste quadro e, como dito acima, na importância da qualidade da redação para o sucesso no vestibular, hoje vamos explorar um pouco mais do conceito mais chave para desenvolver um bom texto e escrever de maneira concisa: a leitura!

Por que analisar poemas e praticar a leitura?

Existem três razões principais para a análise de hoje ser pautada em poemas, especificamente, para o desenvolvimento da capacidade de leitura:

1 – A linguagem utilizada em poemas e a construção deste tipo de texto
2 – Provas como a Unicamp pedem diferentes formatos textuais em sua redação
3 – Listas de livros de vestibular geralmente contam com poemas

Apesar de a maior parte dos vestibulares recorrer à clássica dissertação em suas provas, existem algumas instituições de ensino que podem exigir diferentes gêneros de redação, como um conto, uma crônica, um poema e até um ensaio.

Logo, hoje juntos vamos ver alguns poemas para você não deixar o hábito da leitura de lado, visto que esta é a ferramenta mais importante para desenvolver não só a capacidade de escrever, mas também senso crítico e análise de mundo.

Soneto de Fidelidade de Vinícius de Moraes

A primeira das três obras essenciais que analisaremos juntos hoje é o clássico romântico absoluto, o Soneto de Fidelidade, de autoria de Vinícius de Moraes, o Poetinha.

Uma característica essencial de um dos maiores sonetos brasileiros de todos os tempos é a quebra com o amor eterno, atemporal e garantido até o fim dos dias de ambos os apaixonados.

Aqui, o eu-lírico desenvolvido pelo Poetinha propõe o amor absoluto, intenso e sob todas as forças. Quebrando com o ideal de amor eterno proposto pela geração anterior do romantismo e evidenciando a força da intensidade de uma paixão.

Ainda, temos como momento mais marcante desta obra a última estrofe, onde o eu-lírico afirma: ‘’(…)Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure.’’

O Poema Sujo de Ferreira Gullar

Ferreira Gullar, para muitos que possam não saber, é o pseudônimo adotado pelo Biógrafo, Tradutor, Crítico de Arte e Ensaísta, José Ribamar Ferreira.

De acordo com o próprio Vinícius de Moraes, o Poema Sujo é talvez um dos mais importantes poemas já escritos na literatura brasileira.

Escrito enquanto o seu autor se encontrava em exílio na Argentina, o poema possui um cunho autobiográfico e marca duros retratos políticos e sociais vividos no período da ditadura militar no Brasil, em meados das décadas de 60 e 70.

Além disso, o Poema Sujo é uma das obras literárias mais extensas já escritas no formato de poema, contando com cerca de 2000 versos que retratam basicamente toda a vida de seu escritor, desde a infância, crenças, questões políticas e vida pessoal.

É até difícil evidenciar uma parte marcante deste poema, visto que ele é extremamente íntimo, pessoal e emotivo.

Contudo, a passagem ‘’Que importa um nome à esta hora do anoitecer, em São Luiz do Maranhão à mesa do jantar, sob uma luz de febre entre irmãos e pais dentro de um enigma?’’ mostra o teor adotado por Ferreira ao longo da obra.

Morte e Vida Severina de João Cabral de Melo Neto

Por fim, um dos maiores autores da história do país foi o diplomata João Cabral de Melo Neto e uma de suas maiores obras é, certamente, Morte e Vida Severina, que inclusive tende a aparecer em diversas listas de livros obrigatórios de vestibular.

Ao longo do poema, João narra a história de Severino, conhecido classicamente como um brasileiro como muitos outros brasileiros, que sonhava com esperanças de uma vida melhor.

O dilema vivido por Severino é idêntico ao de inúmeros brasileiros que migram do sertão nordestino em busca de condições melhores de vida nas capitais do país.

Por fim, todas as obras são clássicos obrigatórios para qualquer fã de leitura e para qualquer pessoa que busque conhecer novas leituras e praticar um hábito saudável, independente de sua urgência devido à provas de vestibular.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!