Ela perguntou: “Quanto você está vendendo os ovos?”

O velho vendedor respondeu: a cinquenta centavos- um ovo, Senhora”.

Ela disse: “Vou levar 6 ovos por dois reais e cinquenta ou vou embora”.

O velho vendedor respondeu: “Venha levá-los ao preço que você deseja. Pode ser, este é um bom começo porque não consegui vender nem um único ovo hoje “.

Ela pegou os ovos e se afastou sentindo que ganhou. Ela entrou em seu carro elegante e foi a um restaurante elegante com sua amiga. Lá, ela e sua amiga, pediram o que quiseram . Elas comeram um pouco e deixaram muito do que pediram. Então ela foi pagar a conta. A conta custava quatrocentos reais / -. Ela deu quatrocentos e cinquenta / – e pediu ao proprietário do restaurante para ficar com o troco….

Este incidente pode ter parecido bastante normal ao proprietário, mas muito doloroso para o vendedor de óvos pobre..

O que questiono é:
Por que sempre mostramos que temos o poder quando compramos dos necessitados? E por que ficamos generosos com aqueles que nem precisam de nossa generosidade?

Uma vez eu li em algum lugar:

“Meu pai costumava comprar bens simples de pessoas pobres a preços elevados, mesmo que ele não precisasse deles. Às vezes, ele costumava pagar mais por eles. Fiquei preocupado com este ato e perguntei-lhe por que ele faz isso? Então meu pai respondeu: “É uma caridade embrulhada com dignidade, meu filho”

Eu sei que a maioria de vocês não compartilhará esta mensagem, mas se você achar que as pessoas precisam ver isso, então, espalhe essa mensagem.

Encontrei esta história na página de Tony Lopes. Achamos tão sensacional e simples esta reflexão, que decidimos compartilhar com vocês.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!