Ao longo deste artigo, quero falar sobre esse tipo de meio de armazenamento. Desde a forma como funcionam, às principais vantagens em relação aos discos rígidos tradicionais, sem esquecer, claro, os diferentes tipos que existem ou recomendar alguns modelos que pode adquirir hoje.

Você quer descobrir tudo sobre SSDs? Continue lendo, aqui você tem todas as informações.

Como funciona um SSD?
A tecnologia SSD atual é baseada no uso de chips de memória compostos de portas lógicas NAND. As portas NAND são feitas de transistores de porta flutuante, que é o elemento no qual os bits são armazenados. As memórias são organizadas na forma de uma matriz que é conhecida como bloco e as diferentes linhas que compõem a matriz são chamadas de páginas. O número de páginas em cada bloco determina a capacidade total do SSD 120gb.

Em relação à forma de armazenamento das informações, os transistores de porta flutuante possuem dois estados possíveis (sistema binário): carregado ou descarregado. O estado carregado representa 0, enquanto o estado descarregado representa 1.

Uma das características mais importantes dos transistores de porta flutuante usados em SSDs é que eles podem salvar informações mesmo quando não estão recebendo energia. Graças a isso, podem ser usados em computadores com total normalidade e além disso também podem ser usados como drives externos para uso em vários computadores.
SSD vs HDD, diferenças, vantagens e desvantagens

As diferenças entre as duas tecnologias são óbvias. Os discos rígidos tradicionais (HDD) são compostos de um controlador, pratos e uma cabeça de leitura. Grande parte da operação desse tipo de sistema de armazenamento é mecânica e precisa estar em constante movimento, alguns até chamam de discos mecânicos.

Esses tipos de discos gravam dados por magnetismo e geralmente são compostos por um ou mais discos rígidos que estão ligados pelo mesmo eixo e que giram em alta velocidade. Em cada uma de suas faces, encontramos uma cabeça para ler ou gravar os dados no próprio disco.

Portanto, a operação é puramente mecânica, portanto, quanto mais rápidas as curvas, menos tempo leva para recuperar ou registrar as informações. As velocidades nesses tipos de discos são medidas em rotações por minuto ou rpm.

Por sua vez, os SSDs são totalmente eletrônicos. Não tem parte móvel e isso os torna muito mais rápidos em todas as ações de leitura e escrita, silenciosos, leves e também resistentes a choques ou movimentos bruscos do computador ou dispositivo no qual estão instalados.

Principais vantagens SSD
• Leitura / gravação mais rápida, o que melhora o desempenho de qualquer equipamento em que estejam instalados onde antes havia HDD.
• Não emite ruído durante o funcionamento.
• Eles não vibram com o uso por não terem peças móveis.
• Eles não sofrem com movimentos bruscos.
• Eles são mais leves.
• Eles podem ser menores.
• Eles consomem menos energia.
• Eles não são afetados pelo magnetismo.

Mas, é claro, nem todos são vantagens em SSDs. Uma das principais desvantagens dos SSDs é que sua vida útil geralmente é mais limitada do que a dos discos rígidos. Este tipo de memória possui um número finito de operações de apagamento / escrita possíveis e após ultrapassar esse número a sua morte é iminente, além disso, não existem sintomas de degradação, pode falhar de um segundo para o outro e os dados são irrecuperáveis. Os backups são mais importantes do que nunca com este tipo de unidade de armazenamento.

Também é importante observar que seu preço por GB é mais caro do que o dos discos rígidos. Algo que se ajusta com o passar do tempo e o desenvolvimento da tecnologia, mas por enquanto os HDDs continuam vencendo.

Principais desvantagens
• Vida útil mais curta. Suas células podem ser reescritas um número limitado de vezes.
• Preço mais alto que o HDD.
• Sem possibilidade de recuperação de dados em caso de falha.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!