No dia 26 de janeiro, quarta-feira, Dia Internacional da Memória do Holocausto, centenas de sobreviventes do Holocausto foram vacinados contra COVID-19.

O Escritório Central de Estatísticas de Israel informou ontem, que ao menos 900 sobreviventes do genocídio nazista morreram tendo como causa a COVID-19.

A expectativa é de que mais de 400 sobreviventes, a maioria na casa dos 80 ou 90 anos, recebessem a primeira dose em um centro de convenções em Viena. Alguns trazidos de ônibus ou ambulâncias, outros de metrô ou acompanhados pelos filhos.

“Devemos isso a eles”, disse a organizadora da campanha de vacinação de Viena, Erika Jakubovits. “Eles sofreram tantos traumas e se sentiram ainda mais inseguros durante esta pandemia.”

“Todos os que sobreviveram tiveram de ter sorte e eu tive sorte pelo menos três vezes”, contou. “O coronavírus não era nada em comparação, mas é melhor não arriscar. Essa (vacinação) é a última chance de vencer a covid, e preciso tentar.” disse Viera Fischerova, de 77 anos, disse que tinha 18 meses quando sua família foi descoberta na clandestinidade.

Fonte indicada e adaptada: OPOVO

RECOMENDAMOS






É amante de sagas, sonha ser cineastra e é do tipo que chora rios inteiros lendo livros. Já coleciona 14 primaveras, escreve poemas, ama Raul e Legião.