Em 2020, em meio à pandemia do covid-19, registrou-se, no Brasil, o maior número de divórcios realizados. No total, foram 43,8 mil processos, um aumento de 15% em relação a 2019. Os dados assustam, porém, a explicação é decorrente dos efeitos deixados pela pandemia. Devido às questões de isolamento social e a reclusão para evitar um possível contágio do vírus, muitos casais passaram a conviver mais no dia-a-dia, compartilhando o ambiente doméstico mais do que o costume. Obviamente, o resultado para muitos casais foi o desgaste de suas relações, em que o desentendimento tornou-se constante.

Além do cenário pandêmico, o que facilitou o aumento dos processos de divórcio pelo Brasil foi a possibilidade de solicitar o serviço online, garantindo que a má convivência fosse resolvida de maneira rápida, sem aglomeração e mantendo o distanciamento social.

Porém, poderia uma parte desses divórcios ter sido evitada no último ano? Muitas pessoas passaram a procurar terapia online, várias plataformas surgiram para facilitar que pacientes se conectassem com terapeutas licenciados, como a MyTherapist. Há vários tipos e métodos de aconselhamento profissional psicológico, como alguns listados aqui https://www.mytherapist.com/advice/counseling/.

Porém, além de terapias individuais, terapias de casal também poderiam ser uma solução para aqueles que buscam resolver seus atritos e novamente se reconciliar. Um dos métodos que vêm chamando a atenção no exterior é a chamada terapia de discernimento, a qual vale a pena conhecer um pouco mais e entender se é um método adequado para você.

Terapia de discernimento: o que é?
Criada por William Doherty, professor de Ciências Sociais da Família da Universidade de Minnesota, o chamado aconselhamento, ou terapia, de discernimento é um método desenvolvido para aconselhar casais que estão pensando em se divorciar. A ideia para criar esse método surgiu após um juiz da vara familiar perceber que a maioria dos casais que buscavam o divórcio se comportavam de maneira amigável entre eles no tribunal. O juiz, então, questionou se não haveria uma maneira de impedir a separação desses casais e pediu a Doherty para desenvolver um programa para ajudá-los.

Enquanto a terapia tradicional de casais supõe que os casais buscam ajuda para continuarem juntos ao invés de debater os problemas de sua relação conjugal, o método de Doherty busca compreender, separadamente, o lado de cada cônjuge e, então, questionar se eles pretendem continuar juntos ou não. Afinal, segundo Doherty, desafios e problemas conjugais são causados por ambos, talvez não dividindo 50/50 a culpabilidade, mas reconhecendo que os dois possuem uma parcela significativa neles.

Como funciona o aconselhamento de discernimento?
O aconselhamento de discernimento, basicamente, possui duas etapas.
1. Sessões individuais
Na primeira parte, o terapeuta conversa individualmente com as partes, buscando compreender o lado de cada um na situação, assim como seus sentimentos e dificuldades com o cônjuge. Geralmente, busca-se realizar essa etapa em cinco sessões individuais, ou menos.

2. Sessão em casal
Após as sessões individuais, o casal se encontra junto ao terapeuta, o qual lhes dá três opções: permanecerem casados, decidirem pelo divórcio, ou temporariamente não decidirem pelo divórcio, mas continuarem a terapia em casal por mais seis meses.

O grande diferencial desse método é que o casal reconhece as dificuldades que o outro vem enfrentando em particular derivado dos problemas conjugais. Ao reconhecer-se no outro, o casal começa a se abrir melhor um ao outro.

Importante dizer que embora muitos optam pela via da terapia, aqueles que optam pelo divórcio acabam também se beneficiando com o método. Segundo Doherty, o aconselhamento de discernimento ajuda na saúde emocional do casal de forma individual, assim como ajuda em tomar decisões difíceis, como aquelas ligadas à guarda dos filhos.

Seria a terapia de discernimento certa para você?
Há 3 perguntas que você deve se fazer para refletir se o aconselhamento de discernimento ajudaria em sua vida conjugal.

1. Os dois desejam o divórcio?
O aconselhamento de discernimento foi criado pensando nas situações em que um dos cônjuges não está inteiramente decidido pelo divórcio, enquanto o outro sim. Esse método ajudaria a compreender melhor o lado do outro e a decidir, conjuntamente, o futuro do casal.

2. Você busca soluções e compreensão?
O aconselhamento de discernimento não foca em atingir o objetivo de manter o casal junto, ele busca verificar se as soluções colocadas em pauta são possíveis e a aumentar a compreensão dos sentimentos de um para com o outro.

3. Você busca algo de curto prazo?
Por fim, o aconselhamento de discernimento não é um método de longo prazo. Ele busca resolver a situação do casal em poucas sessões e pelo período máximo de seis meses, quando os dois se comprometem a temporariamente não prosseguir com o divórcio e sim com uma terapia.

Há várias questões a se levar em conta ao decidir pelo aconselhamento de discernimento. Avalie cada opção cuidadosamente, levando em consideração sua realidade e a dinâmica do casal. Esse é apenas um dos vários e diferentes métodos de terapia de casal existentes, há muitos outros que podem ser encontrados.

Sobre a autora

Marie Miguel é especialista em redação e pesquisa há quase uma década, cobrindo uma variedade de tópicos relacionados à saúde. Atualmente, ela está contribuindo para a expansão e o crescimento de um recurso online gratuito de saúde mental com BetterHelp.com Com interesse e dedicação em lidar com os estigmas associados à saúde mental, ela continua a focar especificamente em assuntos relacionados à ansiedade e à depressão.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!