Por: Educadora Gislene de Lima Marques

No dia 19 de julho de 2020, fez seis anos que as nossas crianças e nós, educadores apaixonados pela educação, recebemos a notícia de que o céu havia recepcionado a volta de mais um anjo, o nosso querido Rubem Alves. O seu amor, que ficou no coração de quem sente a sua sensibilidade, a sua empatia, a sua habilidade em saber escutar o outro, permanece crescendo. Ser humano, admiravelmente, incrível.

O céu ficou muito mais bonito ao receber o nosso educador, psicanalista e fonte abundante de inspiração para professoras e professores sensíveis à causa nobre que é a luta pela garantia de uma educação de qualidade para todas as pessoas. O céu acolheu com farta alegria o nosso ilustre professor. Um grande homem com alma de criança.

Certo dia, uma professora perguntou aos seus alunos quem era Rubem Alves. E um menininho respondeu: “Rubem Alves é um homem que gosta muito de ipês amarelos”. Tem forma mais lindamente poética do que ser visto assim por um menininho?! Que lindeza! Mas não era só de ipês amarelos que Rubem Alves gostava. Não. Ele gostava de cachorros, de cozinhar, de ler e escrever, de jiló (saboreava o amargo como se fosse sobremesa), gostava de frango com quiabo (coisas de mineirinho), de caqui, de crianças, de jardins, de poesias…

Sua paixão, sua preciosidade, era a EDUCAÇÃO. Por isso e pelo seu nobre humanismo, sempre tive afinidade com esse ser maravilhoso que nos deixou um enorme legado aqui na terra, como os seus belos livros e o Instituto Rubem Alves, gerenciado por sua filha Raquel Alves (ele tem mais dois filhos).

Sua grande amiga Adélia Prado (poeta e escritora) diz que “Saudade é o amor que fica”. E com esse aforismo (Rubem Alves amava aforismos), eu finalizo essa homenagem a esse educador que muito contribuiu para o bem comum. As sementes que plantou, germinam nos corações de quem ama a Educação. Brotam nas mãos de quem defende, cotidianamente, a sua frase, a qual muito me identifico, “Sem a educação das sensibilidades, todas as habilidades são tolas e sem sentido”. E florescem de amarelo as nossas almas.

Nascido em 15 de setembro de 1933 na cidade de Boa Esperança em Minas Gerais, Rubem Alves foi um psicanalista, educador, teólogo, escritor e ex-pastor presbiteriano brasileiro. Foi autor de livros religiosos, educacionais, existenciais e infantis. É considerado um dos maiores pedagogos brasileiros de todos os tempos e um dos precursores da Teologia da Libertação. Foi Professor da Universidade Estadual de Campinas e um dos principais divulgadores da Escola da Ponte.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!