Pouco antes do falecimento do grande Erasmo, sua esposa telefonou para um de seus grandes amigos, talvez o maior amigo, o rei Roberto Carlos. Trocaram algumas palavras, sabendo ambos que seria a última vez que privariam da companhia, mesmo à distância, um do outro.

Roberto, contudo, não compartilhou o que falaram, guardando para si essa última recordação do “irmão camarada”.

No final da tarde, Roberto Carlos gravou uma mensagem de áudio, a pedido do Jornal Nacional, em que falou sobre a dor de perder Erasmo:

“Minha dor é muito grande. Nem sei como dizer tudo o que eu penso desse meu amigo, desse meu amigo querido, meu grande irmão, meu ídolo… Por tudo, pela sua lealdade, sua inteligência, sua bondade, por tudo o que eu conheço dele. Um ser humano maravilhoso esse meu irmão. É um privilégio pra mim ter um amigo assim, um irmão, por todos esses anos”, disse Roberto.

Roberto disse ainda da dificuldade em falar do amigo, nesse momento de tamanha dor:
“Difícil encontrar palavras pra falar desse cara… Esse cara, o meu amigo Erasmo Carlos. Ele viverá sempre no meu coração. Que nosso Deus de bondade o proteja e o abençoe sempre. Amém, amém, amém”.

As parcerias musicais e ainda a parceria de vida entre Roberto e Erasmo trouxeram grandes contribuições à música brasileira. Erasmo sempre afirmava que ele e os amigo brigavam muito, especialmente no tempo da Jovem Guarda, mas não entre eles.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!