Ter alguém amado lutando pela vida contra um vírus mortal que, pouco conhecido e novo, tem levado à morte milhares de pessoas  em todo o planeta, é algo indescritível.

A covid-19 nos obriga ao afastamento daqueles a quem mais amamos no momento certamente mais crítico de sua vida. A sensação de impotência, de pequenez, a angústia diante de uma ocorrência tão severa nos faz desejar a possibilidade de voltar no tempo para, talvez, evitar que a pessoa fosse infectada. Mas isso não é, como sabemos, possível.

A atriz, modelo e apresentadora Fernanda Lima é também a filha Fernanda. A eterna menininha de Cleomar Lima, hoje internado no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre com covid-19.

Em sua conta no Instagram, Fernanda conta um pouco da personalidade do seu pai, narra episódios de suas vidas e pede, por diversas vezes: “Reage, pai”.

Eis a fala de Fernanda:
“Já tem quase 30 dias que falamos pela última vez. Ele isolado num quarto de hospital com Covid-19. Parecia sereno, ainda assim senti um certo medo no fundo de seu olhar, embora ele disfarçasse para eu não perceber. Eu na rede com a Maria. Ele olhava a netinha e comentava a alegria de termos um novo bebê na família. Me disse que comprou o presente de aniversário dos guris… que logo que estivesse bem, viria trazer pessoalmente e que não deu tempo de escrever o cartão pra eles.
Reage pai…
Falou que assim que chegasse em São Paulo iríamos novamente passar uma madrugada no mercado Ceagesp, como fizemos quando eu estava grávida, quase parindo e ele não me deixou ir sozinha.
Enquanto eu comprava plantas e terra, ele sentado junto aos carregadores em seus carrinhos perguntava sobre como era o cotidianos de suas vidas. Sempre curioso e empático.
Volta e meia me chamava pra provar uma cocada ou um caldo de cana… e me chamava do mesmo jeito de sempre… “Naninhaaaa”, eu ouvia a distância aquela voz animada.
Reage pai…
Ele sempre gritou com alegria quando avistava um amigo de longe.
Eu me escondia de vergonha mas ele não tava nem aí.
Nenhum encontro passava em branco.
Reage pai…
Meu pai e essa vontade de viver, esse jeito intenso e alegre de passear pela vida, seus planos feitos com um ano de antecedência. “Todas as datas justificam celebração” minha filha.
Dias antes de ir para o hospital já rabiscava uma lista de convidados do próximo aniversário em fevereiro de 2021…
Nunca vi alguém assim, tão feliz e contente, sempre pronto pra um abraço um beijo ou mesmo um forte aperto de mão, sempre olhando nos olhos, com carinho e muita ironia.
Reage pai…
E os aniversários? Sagrados. Queria sempre celebrar junto, mas se não dava, era o primeiro a ligar, a meia noite em ponto. Não só para a familia mas para os amigos, não só os dele mas os meus. Ele parecia mais amigo dos meus amigos do que eu… Enquanto eu sempre preferi ficar mais perto dos mais velhos, da paz e da calmaria, ele prefere os jovens, a novidade, a bagunça, o barulho e a confusão.
Reage pai…”

 

Ver essa foto no Instagram

 

Reage pai Já tem quase 30 dias que falamos pela última vez. Ele isolado num quarto de hospital com Covid-19. Parecia sereno, ainda assim senti um certo medo no fundo de seu olhar, embora ele disfarçasse para eu não perceber. Eu na rede com a Maria. Ele olhava a netinha e comentava a alegria de termos um novo bebê na família. Me disse que comprou o presente de aniversário dos guris… que logo que estivesse bem, viria trazer pessoalmente e que não deu tempo de escrever o cartão pra eles. Reage pai… Falou que assim que chegasse em São Paulo iríamos novamente passar uma madrugada no mercado Ceagesp, como fizemos quando eu estava grávida, quase parindo e ele não me deixou ir sozinha. Enquanto eu comprava plantas e terra, ele sentado junto aos carregadores em seus carrinhos perguntava sobre como era o cotidianos de suas vidas. Sempre curioso e empático. Volta e meia me chamava pra provar uma cocada ou um caldo de cana… e me chamava do mesmo jeito de sempre… “Naninhaaaa”, eu ouvia a distância aquela voz animada. Reage pai… Ele sempre gritou com alegria quando avistava um amigo de longe. Eu me escondia de vergonha mas ele não tava nem aí. Nenhum encontro passava em branco. Reage pai… Meu pai e essa vontade de viver, esse jeito intenso e alegre de passear pela vida, seus planos feitos com um ano de antecedência. “Todas as datas justificam celebração” minha filha. Dias antes de ir para o hospital já rabiscava uma lista de convidados do próximo aniversário em fevereiro de 2021… Nunca vi alguém assim, tão feliz e contente, sempre pronto pra um abraço um beijo ou mesmo um forte aperto de mão, sempre olhando nos olhos, com carinho e muita ironia. Reage pai… E os aniversários? Sagrados. Queria sempre celebrar junto, mas se não dava, era o primeiro a ligar, a meia noite em ponto. Não só para a familia mas para os amigos, não só os dele mas os meus. Ele parecia mais amigo dos meus amigos do que eu… Enquanto eu sempre preferi ficar mais perto dos mais velhos, da paz e da calmaria, ele prefere os jovens, a novidade, a bagunça, o barulho e a confusão. Reage pai… (Continua nos comentários)

Uma publicação compartilhada por Fernanda Lima (@fernandalimaoficial) em

O relato emocionado de Fernanda Lima, bem como a sua súplica  para que o seu pai venha a reagir e a vencer a doença, ilustra a de tantos outros que, ao redor do mundo, elevam aos céus e à terra as melhores rogativas de amor e vibrações de ternura para que seus amados se recuperem.

Juntamos à Fernanda, em coro: Reage, senhor Cleomar! Reage!

Toda a ternura à familia…

A Revista Pazes apoia as medidas
de isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus.
#FiqueEmCasa #SeSairUseMáscara

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!