A rainha Elizabeth II agradeceu neste domingo 05 às equipes sanitárias que trabalham sem trégua no combate à pandemia do novo coronavírus, e aos britânicos que ficam em casa para conter a propagação da doença.

“Quero agradecer a todos os que estão na linha de frente” dos serviços de saúde pública e “a todo o pessoal sanitário” em geral, destacou a rainha, de 93 anos, em uma mensagem à nação considerada histórica.

Certa de que os britânicos “vencerão” a Covid-19, Elizabeth II agradeceu também aos cidadãos “que ficam em casa e protegem, assim, os mais vulneráveis” do país, onde o coronavírus já matou quase 5.000 pessoas.

Neste raro discurso televisionado dirigido à Grã-Bretanha e aos países da Commonwealth, a rainha lembrou suas experiências durante a II Guerra Mundial, oferecendo uma mensagem de esperança a pessoas forçadas a se manter afastadas de familiares e amigos. A rainha lembrou de sua primeira transmissão, em 1940, quando ao lado da irmã, a princesa Margaret, dirigiu-se às crianças afastadas de suas famílias. As irmãs foram mandadas para Windsor por segurança enquanto Londres era bombardeada.

A transmissão ocorre em um momento em que bilhões de pessoas ao redor do mundo são forçadas a permanecer em casa para conter a transmissão do vírus. A monarca e seu marido, o príncipe Philip, de 98 anos, estão no Castelo de Windsor, no oeste de Londres, preventivamente desde 19 de março, enquanto o número de mortes e de contágios aumentam em território britânico.

A Grã-Bretanha tem atualmente 47.806 casos hospitalares confirmados e 4.934 mortes. Seu próprio filho, o príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, assim como o premiê, Boris Johnson, contraíram o vírus. A rainha alertou que a situação pode persistir, mas o surto será derrotado através do esforço coletivo e do “empenho comum”, incluindo a cooperação científica. “Vamos ter sucesso – e este sucesso pertencerá a todos nós”, disse a rainha.

Leia também: Coronavírus: sem turistas, tartarugas retornam em massa para fazer seus ninhos nas costas indianas
Papa Francisco classifica como “genocídio por vírus” colocar a economia na frente da saúde pública

Fonte Carta Capital

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!