Um caso de racismo ganhou repercussão na data de ontem. Um homem preto chamado Fernando Silva dos Santos, foi acusado de furto em uma loja de calçados em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

A vítima comprou uma mochila no estabelecimento e perguntou à atendente se poderia já colocar os seus pertences na mochila. Ela consentiu, uma vez que ele já havia pago pela mochila.

Em entrevista à Record TV Rio (postada logo abaixo) o encarregado de supermercados narrou que fora abordado por três funcionários ao sair do loja:

Eles me abordaram dizendo que eu tinha roubado um par de tênis. Eu estava com a nota na mão justificando para eles que eu não era ladrão.”, disse Fernando.

Ele apresentou a nota de compra da mochila, mas os vigilantes insistiram em abrir a mochila, alegando que ele havia furtado um tênis na loja:

“Ele abriu a mochila, jogou tudo no chão e eu fiquei apavorado. Comecei a gritar que não era ladrão. Aquilo ali me constrangeu muito”, afirmou.

Fernando ficou tão nervoso que chegou a desmaiar. A ação foi filmada por clientes e pessoas que estavam no calçadão.

Infelizmente, situações como esta são muito frequentes no Brasil. Existe um racismo velado que faz com que o preto seja visto com desconfiança, invertendo a máxima jurídica da presunção de inocência. No Brasil, preto é sempre visto como culpado, tendo ele próprio, como no caso acima, que comprovar sua inocência.

Lamentável. Situações como esta necessitam ganhar holofotes de modo que cada um repense seus conceitos e preconceitos.

Toda a nossa solidariedade ao Fernando! Força… Este país também é seu por direito.
Assistam à reportagem da Record:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!