Mais um desfecho trágico originado no fanatismo religioso. O professor Samuel Paty foi decapitado na última sexta-feira (16). De acordo com o que foi dito pelo promotor antiterrorista Jean-François Ricard, o professor de história organizou um debate com os seus aluno, durante o qual mostrou caricaturas do profeta Maomé.

O pai de um aluno, ficou indignado divulgou o fato na internet, divulgando ainda o nome do professor e o endereço do colégio, requerendoa sua demissão. A partir disso, o professor recebeu várias ameaças por telefone.

De acordo com o noticiado, o autor do crime é um jovem de 18 anos qu fora visto rondando a escola e perguntando como encontrar o professor.

Em face de tamanha gravidade do delito, pessoas tomaram as ruas e praças da França, nas cidades de Paris, Lyon, Toulouse, Strasbourg, Nantes, Marseille, Lille e Bordeaux, prestando homenagens ao professor assassinado e protestando por liberdade de expressão.

No sábado (17), centenas de alunos, pais e professores deixaram flores na entrada da escola para homenagear o professor.

Neste domingo (18), manifestantes levaram cartazes escrito “Je suis prof”, ou “eu sou um professor” e “Je sui Samuel”, ou “eu sou Samuel”, em tradução literal, para homenagear Paty.

No vídeo abaixo, podemos observar as homenagens ao professor:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!