Com informações da Reuters
O presidente Cyril Ramaphosa, para mostrar ao povo sul-africano que quarentena é coisa seríssima, repreende de modo firme e exemplar a ministra das Comunicações, Stella Ndabeni-Abrahams, por violar um bloqueio imposto pelo governo, colocando-a em licença especial por dois meses, sendo que um destes não será remunerado.

O porta-voz de Ramaphosa acrescentou que “a lei deve seguir seu curso” em relação à violação.

Isso ocorreu depois que Ndabeni-Abrahams foi exposta por almoçar no domingo com o ex-vice-ministro do ensino superior Mduduzi Manana, violando uma proibição governamental de atividades sociais até 16 de abril, imposta para conter a propagação do Covid-19.

De acordo com as regras, as pessoas só podem sair de casa para tarefas essenciais, como comprar comida ou procurar ajuda médica. A polícia prendeu mais de 17.000 pessoas durante os primeiros dias do bloqueio, muitas por violar as regras.

“O presidente Cyril Ramaphosa colocou a ministra das Comunicações e Tecnologias Digitais Stella Ndabeni-Abrahams em licença especial por dois meses – um mês dos quais não será remunerado. Quanto às alegações de que a ministra violou os regulamentos de bloqueio, a lei deve seguir seu curso ”, disse a porta-voz de Ramaphosa, Khusela Diko, em comunicado divulgado na quarta-feira.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!