Unveiling Ceremony of Nelson Mandela Statue on Monday, September 24, 2018 at the U.N. in New York City, USA.

Parceria da Revista Pazes com a ONU News
Marianna Vardinoyannis, da Grécia, e Morissana Kouyaté, da Guiné-Conacri, são os vencedores do Prêmio Nelson Rolihlahla Mandela das Nações Unidas em 2020.

O anúncio foi feito pelo presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande.

Em comunicado, ele disse que o trabalho dos dois “tem um impacto na vida de outras pessoas” e que eles se inspiram no exemplo e valores de Mandela.

Marianna V. Vardinoyannis é uma filantropa e defensora dos direitos humanos e da proteção da saúde e bem-estar das crianças. Embaixadora da Boa Vontade da Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesc

Vardinoyannis também é fundadora e presidente de duas ONGs, uma fundação que leva o seu nome, e a Associação de Crianças com Câncer Elpida.

O presidente da Assembleia Geral afirmou que a filantropa “luta contra o câncer infantil e por um mundo sem fronteiras para o acesso à saúde há mais de 30 anos, ajudando milhares de crianças.”

África
O outro vencedor, Morissana Kouyaté, é um médico da Guiné-Conacri. Segundo Muhammad-Bande, o ganhador “é um dos principais defensores do fim da violência a mulheres e meninas na África.”

Kouyaté é diretor-executivo do Comitê Inter-Africano de Práticas Tradicionais Nocivas. Ele foi um dos iniciadores do instrumento regional da África para acabar com a violência às mulheres e se destaca contra práticas tradicionais prejudiciais como a Mutilação Genital Feminina.

Morissanda Kouyate, da Guiné-Conacri, é ativista pelos direitos de meninas e mulheres
Morissana Kouyaté, da Guiné-Conacri, é ativista pelos direitos de meninas e mulheres, ONU

Morissana Kouyaté, da Guiné-Conacri, é ativista pelos direitos de meninas e mulheres, ONU
O prêmio Nelson Mandela, criado em 2014, reconhece pessoas que dedicam suas vidas ao serviço da humanidade, promovendo os princípios da ONU e honrando a vida e legado do ex-líder sul-africano.

Em 2015, o ex-presidente de Portugal Jorge Sampaio foi agraciado com a primeira edição do prêmio.

Direitos humanos
Este ano, ele foi convidado como membro honorário do Comitê de Seleção, ao lado do ex-ministro do Exterior da Eslováquia Eduard Kukan e da presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos de Marrocos, Amina Bouayach.

O Comitê de Seleção também foi composto ainda por embaixadores do Afeganistão, Burundi, Grécia, Hungria e Nicarágua, representando os cinco grupos geográficos regionais da ONU.

Os ganhadores do Prêmio Nelson Mandela 2020 foram anunciados pela internet por causa das medidas de proteção da pandemia.

Créditos
Foto de capa: Foto ONU/Ariana Lindquist
Matéria da ONU News

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!