A Polícia Civil investiga 30 possíveis crimes praticados pelo médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra contra pacientes. Ele foi preso em flagrante por abuso durante uma cesariana no Hospital Heloneida Studart, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

“São relatos ainda. Precisamos investigar. São 30 já identificadas como possíveis”, disse Bárbara Lomba, delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti.

Segundo o g1, outra unidade de saúde, o Hospital Estadual da Mãe de Mesquita, também na Baixada Fluminense, informou que ele acompanhou mais de 20 cirurgias. Os investigadores apuram se, nesses casos, ele também usou medicamentos desnecessários ou em excesso.

“Toda essa ação criminosa é repugnante, é algo que não imaginávamos que pudesse acontecer’, pontuou a delegada.

Duas dessas possíveis vítimas são esperadas para prestar depoimento nesta quinta-feira (14).

“Elas foram operadas no dia 10 de julho, antes daquela vítima nas imagens. Já temos informações de que elas foram sedadas também, possivelmente desnecessariamente”, afirmou Bárbara Lomba.

Na quarta-feira (13), o material recolhido na sala de cirurgia do hospital da mulher foi encaminhado para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

Trata-se ds gazes usadas para limpar os vestígios de crime no rosto da mulher que aparece no vídeo, as ampolas do anestésico aplicado na mulher e o celular usado pra gravar o flagrante.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!