Este poema peculiar nos mostra que uma mesma situação pode ser vista por diversos prismas. E, seguramente, podemos escolher a melhor forma de registrar a situação em nossa alma.

Leia e releia:

Sou parte de uma geração perdida
E nego a acreditar que
Posso mudar este mundo
Sei que, talvez, pareça estranho, mas
«A felicidade vem de dentro»
Na verdade, isso é uma mentira
O dinheiro me faz feliz
E aos trinta anos direi ao meu filho que
Ele não é o mais importante na minha vida
Meu chefe saberá que
Tenho minhas prioridades porque
O trabalho
É mais importante que
A família
Escute
Há muito tempo
As pessoas vivem em família
Mas agora
A sociedade já não será como antes
Os especialistas me dizem que
Daqui trinta anos celebrarei o décimo aniversário do meu divórcio
Não penso que
Viverei num país de criação própria
No futuro
A destruição do meio ambiente será normal
Ninguém acredita que
Conservaremos nosso belo Planeta
É claro que
Minha geração já está perdida
É idiotice supor que
Existe uma esperança.

Agora, leia de baixo para cima.

Este poema pode ser lido das duas formas.
Você decide qual prefere.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!