Na última quinta-feira (8), um naufrágio próximo à ilha de Cotijuba, em Belém (PA), ceifou a vida de 19 pessoas. Muitas ainda estão desaparecidas, incluindo Ananda Luiza Barreto da Silva, de 18 anos, e o pai, José Luís Rodrigues da Silva, de 63 anos.

Pai e filha avisaram a família que a lancha clandestina Dona Lourdes II estava com problemas e poderia afundar.

Em uma série de mensagens reveladas à imprensa, a jovem relata que estava com medo e que estava ventando muito:

“Estou com medo. Lancha parou. No meio da baia. E tá ventando muito. Eu não quero me desesperar, mas não estou conseguindo. Está horrível aqui. Está afundando. É sério. Te amo.”

Pouco depois, o pai também avisou a família. “A lancha. Quebrou a hélice. Estamos à deriva”.

Amiga de Ananda, a enfermeira Eduarda Cavalcante relata a angústia por notícias, já que as buscas ainda não cessaram.

“Não sabemos se Ananda está viva, se o Zé Luís está vivo. Isso é a coisa mais agoniante que tem, que não deixa a gente dormir”.

Uma força-tarefa segue liderando as buscas por sobreviventes.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup), constam entre as mortes 11 mulheres, 3 homens e 3 crianças. Felizmente, 65 pessoas sobreviveram e foram resgatadas.

RECOMENDAMOS