Por: Sara Espejo – Canto do Tibete

Qualquer manifestação de nosso corpo são advertências que nos envia a nossa alma para gerar mudanças, não são punição, são alertas, são maneiras de nos dizer que estamos fazendo algo não consistente com nosso bem-estar.

Pode ser que estejamos tomando caminhos inconvenientes, podemos não estar estabelecendo limites saudáveis em nossas vidas e a influência dos outros nisso, podemos ter negligenciado a nós mesmos, podemos não saber como expressar o que sentimos, pode ser que nós estejamos nos apegando a algo que dói emocionalmente… Em suma, isso pode ter muitas conotações, mas acalmar a dor física através de agentes externos representará apenas um paliativo.

Somente quando olhamos para dentro, temos a oportunidade de nos curar, note que dizemos curar e não remediar. Remediar pode ser entendida como o caminho para um estado de normalidade física, enquanto a cura é o processo de transformação interior que nos permite afastar os alertas que manifesta nosso corpo.

Estamos acostumados a procurar um especialista em saúde física para resolver nosso desconforto, nós o silenciamos, mas não erradicamos o problema, se não conseguirmos nos libertar do fardo emocional, os problemas de saúde continuarão presentes, e talvez, e infelizmente de maneira cada vez mais intenso

Se eu lhe enviar uma mensagem de texto e você não a ler, se eu te escrever pelas redes sociais e você me bloquear, se eu ligar para você e desviar minha ligação, tanta insistência significa que eu realmente preciso te dar uma mensagem, e não vou desistir até que eu consiga. Imagine que é assim que nossa relação de alma, corpo e mente funciona, mas de um modo mais sublime.

De nada nos serve tomar um analgésico, a menos que, em paralelo, estejamos tentando resolver ou decifrar a mensagem, isso não significa que não devemos ir a um médico para tratar qualquer mal ou doença, só queremos deixar claro que a raiz do problema pode não está no corpo, mas apenas se manifestando de modo que decidimos mudar, curar, viver de maneira diferente.

O ideal é viajar neste caminho com uma bagagem leve, a culpa, os rancores, os medos, a sensação de que merecemos pouco, tudo isso nos fazem muito peso. É por isso que recomendamos que alivie esse peso qualquer ante qualquer doença. Por onde começamos? Por todos os pensamentos que geram desconforto físico.


Quando pensamos que algo vai dar errado, quando pensamos mal de alguém, quando nos sentimos incapazes, quando deixamos o medo nos dominar e decidir por nós, quando pensamos em nos vingar ou quando insultamos alguém, não nos sentimos bem, não sentimos paz, nosso corpo sente o desconforto, então aqui está a chave! Nós devemos começar mudando o que produz emoções negativas e basicamente a solução para todos os nossos conflitos são:

Aceitar, perdoar e deixar ir … Não é assim tão simples, mas com a prática torna-se habitual e, se a adotarmos como filosofia de vida, será mais fácil manter a nossa saúde e o nosso bem-estar integral.

FONTERincon del Tibet
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!


COMENTÁRIOS