Membros da tribo Vadoma podem ser considerados por muitos como obviamente deficientes, mas seu único problema real é não conseguir encontrar chinelos; Eles usam seus próprios pés para escalar árvores com facilidade e coletar alimentos.

Com o passar do tempo e da história, muitos mitos e lendas populares foram registrados. Claro, essas lendas têm pouco do real, mas em raras ocasiões esses eventos podem acontecer diante de nossos olhos.

icopcv

Levaremos você ao Zimbabwe, no coração do continente africano, onde vive uma tribo que se caracteriza por ter uma característica do mundo mitológico: pés de “avestruz”.

Grande parte dos membros da tribo Vadoma apresentam malformação nos pés, que apresentam apenas dois dedos deformados. Daí a referência ao avestruz, que poderíamos considerar bastante exata.

A condição genética que explica esses pés em particular é conhecida como ectrodactilia , que é a deficiência dos dedos centrais dos pés ou das mãos. É praticamente exclusivo desta tribo, já que as leis locais não permitem que se case ou tenha relações sexuais com alguém de outra tribo, a herança genética – que se manifesta em um a cada quatro nascimentos – tem sido mantida em em casa todo esse tempo.

via Face 2 Face Africa

O primeiro homem a registrar encontros com essa tribo foi Jan Jacob Hartsinck, diretor da Companhia das Índias Orientais da Holanda, em 1770 . Foi somente em meados do século 20 que a história da tribo começou a se tornar conhecida mundialmente.

Mas na própria tribo Vadoma, esses pés de avestruz não são considerados uma deficiência; na verdade, acredita-se que seus dedos os ajudem a subir em árvores com mais facilidade.

E talvez sejam uma bênção para esta tribo, que é a única que não vive da agricultura no país, mas da coleta e do acúmulo.
Você já ouviu falar deles?

Fonte: UPSOCL

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!