Por José Anastácio de Sousa Aguiar
Recentemente, tive necessidade de fazer uso de táxi. No trajeto até o meu destino, o motorista Marto (nome fictício que lanço mão para fazer referência à passagem bíblica destacada em Lucas 10:38-42) discorreu sobre alguns assuntos de seu interesse, dentre eles política, economia e violência, sempre com um ar de preocupação, descontentamento e aflição.

Ao chegar ao meu destino, realizei o pagamento da corrida e ato contínuo, ele se despediu dizendo: “Tenha um bom dia, doutor. Eu vou para a luta.” Fiquei pensativo ao ver o carro distanciar-se imaginando o quão Marto criou com as suas palavras a realidade que terá que enfrentar.

Sentir a vida como uma luta ou não são os dois opostos de uma mesma moeda. Estamos imersos em um universo que antes de ser matéria, é pura energia. Os nossos pensamentos e palavras também são formas de energia, que se modulados na frequência da escassez, medo e culpa, ter-se-á como realidade concreta externa o consectário lógico do que criamos em abstrato internamente.

Por outro lado, se entendemos como funcionam as leis sutis e nos tornamos conscientes, adentraremos na sintonia de todas as possibilidades, tornando-nos cocriadores de uma realidade de paz, harmonia e serenidade interior.

Nesse diapasão, como dito pelo Mestre Jesus no versículo acima citado, estamos afadigados e ansiosos por muitas coisas, mas, em verdade, só uma é necessária, a melhor parte.

José Anastácio de Sousa Aguiar
P
sicanalista, hipnoterapeuta e terapeuta de vidas passadas

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!