“Eu quero viver uns 300 anos, daí pra mais. Eu não reclamo de nada, toda a vida é alegria”, afirma dona Margarida, que já perdeu dois filhos e está viúva há 71 anos.

Ela nasceu em 19 de fevereiro de 1908 e há pouco teve a oportunidade de reunir filhos, netos, bisnetos e tataranetos para celebrar mais um aniversário.

Moradora de Cerro Largo, no Noroeste do Rio Grande do Sul, dona Margarida é a prova de que o bom humor anda junto com a longevidade, especialmente quando o assunto é alimentação:
“Cabeça de porco assada, aquele toicinho! Eu gosto de comer o fucinho, que é pra eu fuçar mais”, diz, entre risos, a dona Margarida.

Na contagem dos descendentes, talvez dona Margarida se perca um pouco: são 8 filhos, 39 netos, 104 bisnetos e 31 tataranetos.

Além de psicologicamente ativa e falante, Margarida também é fisicamente ativa:
“Eu limpo a casa, vou no banheiro, tomo banho “solita”. Lavo minha roupa, tenho uma bacia grande e vou lavar roupa”, comenta.

Cerca de 300 convidados se reuniram para a festa regada com fé: Vó Margarida, como é conhecida, devota de Nossa Senhora, vestiu-se de azul. Segundo a reportagem do site G1, foi uma festa regada de muito sorriso, amor e gratidão por uma vida tão repleta de alegrias.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!