Publicado originalmente em Aleteia

Será que você teria coragem de presentear alguém com alguns deles?
Quando chega o mês de dezembro, muitos de nós nos perguntamos: o que podemos dar a nossos amigos e familiares? São muitos os detalhes de amor e de conversão que podemos oferecer. Eles valem muito mais que qualquer presente caro.

“O Natal é um acontecimento que se renova em cada família, em cada paróquia, em cada comunidade que acolhe o amor de Deus encarnado em Jesus Cristo. Como Maria, a Igreja mostra a todos o ‘sinal’ de Deus: o menino que ela carregou em seu ventre e deu à luz, mas que é o Filho do Altíssimo, porque ‘vem do Espírito Santo’ (Mt 1, 20). Por isso, ele é o Salvador, o Cordeiro de Deus que tomou para si o pecado do mundo (cf. Jn, 1,29). Juntamente aos pastores, nos coloquemos diante do Cordeiro, adoremos a Bondade de Deus feita carne, e deixemos que as lágrimas do arrependimento encham os nossos olhos e lavem nosso coração. Todos precisamos disso.” (Papa Francisco)

Aqui deixamos uma pequena lista e esperamos que seja muito útil para você nesta época:

1. Dê o seu perdão. Presenteie-o para sua própria paz interior. Há pessoas que podem ter lhe causado algum dano, não por acaso, mas de propósito, só para ver como você sofria. Pois perdoe estas pessoas. E, ainda que você não tenha culpa, peça perdão, é a única maneira de viver em paz. Jesus afirma em Mateus 5, 38-48: “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a outra”. Ele não está falando com metáforas. Esse é o modo como Deus nos ama, essa é a maneira como devemos aprender a amar todos; é difícil, mas temos que fazê-lo se quisermos nos aproximar do exemplo de Cristo.

2. Dê sua oração frequente. Não há maneira melhor de demonstrar nosso amor por uma pessoa do que rezando por ela. Assim, colocamos as pessoas que amamos nas mãos de nosso Pai. Encomendemos essas pessoas a Cristo e à Virgem Maria, concentrando-nos com intensidade na oração, sentindo, em nossa alma, cada palavra e sentindo, principalmente, que temos Cristo e a Virgem Maria diante de nós, ouvindo-nos, recebendo e levando em conta cada frase que sai de nossas bocas. Confiemo-nos a Cristo, coloquemos nossos amigos e familiares em Seu coração, conversemos com ele com confiança, como uma criança que se dirige a seu pai.

3. Dê sua dedicação e apreço. Há pouco tempo, perguntei a uma amiga muito querida qual seria o seu melhor presente de Natal. E ela disse, para meu espanto: “Um poema ou um desenho, um bilhete, um cartão de Natal, uns doces caseiros, um tecido, uma escultura pequena ou um ramo de flores que tenham sido colhidas para mim”. Na verdade, nossos amigos e parentes não esperam um presente caro, mas algo que reflita nosso apreço e amor por eles, que diga o quanto nós os amamos. Ninguém se importa como o quanto você gastou, mas com o quanto de sua alma ficou no presente. Ao final das contas, nossos familiares e amigos esperam algo muito pessoal, que mostre que nós os conhecemos.

4. Dê um “ eu te amo”. Muitos de nós sabemos exatamente quem são as pessoas imprescindíveis em nossas vidas. Aquelas que sem os seus sorrisos, mensagens, companhia ou afeto seria muito difícil resistir. Elas estão lá nos momentos em que sofremos e choramos, nos momentos em que estamos doentes. Elas também comemoram conosco quando conseguimos algo que marcou nossa vida. Mas, mesmo que nós lhes agradeçamos sempre, quando lhes dizemos: “Te amo”? Como é difícil dizer isso, até mesmo para nossos pais e irmãos! E, de verdade, não há nada que alegre mais um ser humano do sentir e saber que ele é importante na vida de alguém.

5. Dê seu tempo. Um dos presentes mais preciosos que Deus nos deu é o tempo. É um presente que deve ser bem administrado. Não há nada mais valioso que o tempo dedicado aos outros, não somente a ajudá-los, mas também a fazer-lhes companhia. A generosidade começa pela disposição de se entregar. Nunca podemos nos esquecer: os atos de amor cobrem multidão de pecados. Vamos dar algumas sugestões para ajudar com nosso tempo: ouvir o irmão que nos conta seus problemas, ouvir um amigo doente que nos fala de suas dores, esperar pacientemente os médicos, os dentistas, o sinal vermelho, dedicar algum tempo para a edificação espiritual de alguém, tirar um tempo para parabenizar alguém por um trabalho bem feito.

6. Dê humildade. Frequentemente, estamos ávidos por honras e reconhecimento. Queremos que os outros saibam e valorizem cada esforço que fazemos e comunicamos aos quatro cantos tudo que aconteceu de grandioso em nossas vidas, com a esperança de que, assim, nossos amigos e parentes nos amem mais. Mas, e se a partir de agora, mesmo que nos custe, passamos a conter nossas necessidades de fama e reconhecimento? Deus sabe o que quer que seja que você tenha feito de bom. E o reconhecimento Dele é o único que deve importar. Sinta-se feliz porque Ele lhe valoriza na medida certa e porque nenhum sacrifício seu, por menor que seja, escapa aos olhos Dele.

7. Dê sua companhia.Às vezes, o laço que une você a outra pessoa é tão forte que não é preciso dizer nada; ambos se entendem somente com gestos. Às vezes, a única coisa de que precisamos é saber que não estamos sozinhos, que alguém se preocupa conosco e deseja o nosso bem-estar. Isso porque esse alguém nos ama, e o nosso bem é o dele. Porém, nossa companhia silenciosa é a única coisa que deseja uma pessoa que passa por uma doença muito grave ou que acaba de perder alguém importante. O que podemos dizer em momentos como esse? Como consolar o outro, exceto com nossa presença e com nossas orações?

8. O dom de ceder em uma discussão. Não pode haver briga se não houver dois que queiram brigar. Uma vez perguntei a um amigo que era casado há 10 anos como ele fazia para ter um relacionamento de sucesso. Ele me disse, sorrindo: “Ainda que eu tenha razão, eu a concedo com gosto para minha esposa. Sei muito bem que continuaremos discutindo, diremos mil palavras prejudiciais e eu não quero isso. É por isso que quase sempre sou eu que abando a briga”

9. Coloque-se sempre no lugar do outro. Coloque-se sempre no lugar do outro e pergunte-se por que está fazendo ou falando daquele jeito. Pergunte-se também como você reagiria se ele ou ela fizesse ou falasse o que você tem em mente. Antes de responder ou agir, mantenha a calma ou fique em silêncio, sem lançar palavras duras e desdenhosas das quais logo você se arrependerá. As palavras não voltam; poderão perdoar o que você disser, mas nunca irão esquecer. O mesmo acontece com nossos atos.

10. Dê seu tempo a Jesus.

Se você se sente fraco, procure Jesus no Santíssimo, cumprimente-o, conte a ele todas as suas dores e alegrias, dê-lhe graças pelos dons recebidos e peça tudo o que seu coração anseia (Ele lhe dará conselho). Fique em silêncio sentido a presença e o amor de Jesus e, se precisar, chore diante Dele. Peça também perdão por suas faltas e diga o quanto você o ama. Ele se sentirá feliz e você se sentirá uma nova pessoa.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!