No mês de outubro celebramos os 80 anos de um  gênio brasileiro: Milton Nascimento. Trata-se, sem dúvida, de um grande cantor, compositor e multi-instrumentista brasileiro, reconhecido mundialmente como um dos mais influentes e talentosos músicos da Música Popular Brasileira.

Ao vermos as manchetes dos dias atuais, celebraremos, por meio de sua canção “Coração Civil”, a esperança de um novo tempo para a nação brasileira.

A música, um verdadeiro poema, nos remete à utopia, ao desejo de que uma realidade apenas sonhada se perfaça no seio da justiça social. Quer as asas da liberdade e também o pão, substrato da subsistência e o vinho, propulsor da alegria. Ela nos fala da alegria do povo no poder…

A letra, escrita em parceria com Fernando Brant no tempo em que a ditadura já se dissolvia lentamente no Brasil, fala de São José, capital da Costa Rica: uma das democracias mais antigas do mundo. Foi nesse país que fora assinado o Pacto de São José, também conhecido como Convenção Americana de Direitos Humanos, publicado no final da década de 60, em 1969, é apontado como marco político e normativo na proteção, no respeito e na promoção dos Direitos Humanos, especialmente, nas Américas

É essa a vibração que evocamos ao Brasil! “Sem polícia, nem a milícia, nem feitiço, cadê poder?”

É assim que queremos o nosso Brasil:

“Assim dizendo a minha utopia eu vou levando a vida
Eu viver bem melhor
Doido pra ver o meu sonho teimoso, um dia se realizar”

Coração Civil

Quero a utopia, quero tudo e mais
Quero a felicidade dos olhos de um pai
Quero a alegria muita gente feliz
Quero que a justiça reine em meu país

Quero a liberdade, quero o vinho e o pão
Quero ser amizade, quero amor, prazer
Quero nossa cidade sempre ensolarada
Os meninos e o povo no poder, eu quero ver

São José da Costa Rica, coração civil
Me inspire no meu sonho de amor Brasil
Se o poeta é o que sonha o que vai ser real
Bom sonhar coisas boas que o homem faz
E esperar pelos frutos no quintal

Sem polícia, nem a milícia, nem feitiço, cadê poder?
Viva a preguiça, viva a malícia que só a gente é que sabe ter
Assim dizendo a minha utopia eu vou levando a vida
Eu viver bem melhor
Doido pra ver o meu sonho teimoso, um dia se realizar

Compositores: Fernando Brant / Milton Nascimento

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!