Para muitos profissionais da zootecnia, a indústria de criação de cavalos é uma das mais competitivas e rígidas do mundo.

De forma quase cruel, os criadores fazem com que as éguas deem à luz o maior número possível de potros, com o objetivo de adquirir o valioso leite das fêmeas, além da venda dos filhotes.

Com o passar do tempo, boa parte dos potros acabam morrendo, sendo descartados antes mesmo do falecimento.

Leia também: Ela decidiu aprender a ler aos 104 anos e conseguiu!! (Veja o vídeo)

Por isso, Victoria Goss, fundadora da ONG Last Chance Corral, vem em seu socorro.

A voluntária resgata e cuida desses animais, permitindo que eles sobrevivam mesmo sem a mãe. Graças a seus esforços dedicados, ela reduziu drasticamente a taxa de mortalidade de potros, muito abaixo da média das indústrias de criação.

Em entrevista ao portal “ILMDSM”, Victoria contou que tem protegido cavalos desde os 12 anos de idade.

“Meu coração sangra por esses potros abandonados, mas as restrições financeiras me impedem de ter uma equipe filatrópica por perto”, disse. Daí a importância do trabalho voluntário e das doações que recebe para seu santuário.

Uma vez que a ajuda disponível é inferior à enorme quantidade de cavalos sendo maltratados, Victoria precisa se desdobrar e trabalhar com prioridades.

Infelizmente, muitos potros perecem todos os dias em locais insalubres, mas a voluntária trabalha para salvar o maior número de vidas possível.

A missão abnegada de Victoria tem conquistado muitas pessoas à causa voluntária. Elas doam seu tempo livre e ajudam a norte-americana no resgate, cuidados e acolhimentos desses bichinhos.

Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo:

Leia também: “Não descarte sua dor”: mãe com câncer de ovário terminal incentiva mulheres a conhecerem sintomas

Fonte: Epico-interessantes

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS