Com informações de G1

Muito tem-se debatido nas últimas décadas a respeito dos fatores que ampliam ou minimizam a produtividade dos seres humanos no trabalho e, a cada dia mais, os estudos vem apontando para a importância de rotinas menos estressantes e do bem estar dos funcionários, dentro e fora do ambiente de trabalho.

Compreendendo isso, a Microsoft do Japão recentemente tomou a iniciativa de minimizar as jornadas de trabalho, estratégia que se fundamenta nesta concepção acima mencionada. Os resultados obtidos a partir dessa estratégia não poderiam ter sido mais surpreendentes.

A iniciativa, por se tratar do Japão, foi bastante impactante: o Japão é um dos países do mundo onde a jornada de trabalho é mais estafante, com boa parte das empresas cobrando dos funcionários o cumprimento de mais de 80 horas extras de trabalho por mês. Em razão disso, inclusive, foi recentemente aprovada uma nova legislação que estabelece um máximo de 45 horas extras por mês, o que ainda mantém o Japão entre os países com a maior jornada de trabalho.

A decisão da Microsoft consistiu em ampliar para três os dias de folga durante a semana. Em agosto deste ano, a empresa permitiu que os 2300 funcionários tirassem também folga às sextas. A produtividade, pasmem, aumentou 40% no mês de agosto.

Além do ganho em produtividade, os funcionários também tiraram 25,4% menos dias de folga durante o mês, imprimiram 58,7% menos páginas e consumiram 23,1% menos eletricidade no escritório. Aparentemente, a diminuição da jornada fez com que os funcionários se vissem impelidos a usar de modo mais eficiente tanto o tempo quanto os recursos de que dispunham no trabalho. A empresa agora estuda implementar o projeto em outros meses no futuro.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!