A Câmara Legislativa do Distrito Federal homenageou, no dia 14 de junho, os médicos que separaram as siamesas Lis e Mel, que nasceram unidas pela cabeça.

A equipe médica, coordenada neurocirurgião Benício Oton de Lima contou com mais de 50 profissionais do Hospital da Criança de Brasília, durou 10 meses e a cirurgia transcorreu em 20 horas. O caso foi considerado de altíssima complexidade.

Lis e Mel, conforme noticiado pelo site Só Notícia Boa, amoleceu os corações e evidenciou o perfil humanizado da equipe hospitalar.


A mãe e as crianças, que passaram por cirurgia de separação de crânio no dia 27 de abril, compareceram à homenagem.

As gêmeas siamesas, que nasceram ligadas pelo crânio – caso conhecido como craniópagas – completaram 1 ano neste mês.

Os médicos – Foto de Joel Rodrigues

A mãe e o pai das gêmeas, Camila Neves e Rodrigo Martins, agradeceram o “acolhimento, amor e suporte” dos profissionais do HCB e do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), onde as meninas nasceram.

“Os meus anjos são os doutores”, disse Camila, ao citar os médicos que cuidaram de suas filhas, as quais, segundo ela, “estão muito bem, graças a Deus”.

O caso “encheu de emoção todo o Distrito Federal”, disse o autor da homenagem, deputado Claudio Abrantes (PDT).

Ele lembrou que essa foi a primeira cirurgia do tipo realizada no DF, fruto de “dedicação e esforço” dos profissionais do HCB, cujo “comprometimento e capacidade” propiciou o sucesso do procedimento.


Durante o evento, o deputado Claudio Abrantes entregou moções de louvor aos profissionais que atuaram na cirurgia, registrada no documentário Vidas Ligadas, Desafio para a Ciência.

A solenidade contou ainda com a participação da banda sinfônica do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF).

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!