Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Tempos sombrios para os nossos pequeninos. Em Goiás, na cidade de Anápolis, a 50km da capital, uma médica chamou a Polícia Militar e o Conselho Tutelar após prestar atendimento a um bebê de seis meses de vida. Ao atender a criança, a profissional constatou haver mais de 30 lesões em seu corpo.

A partir de então, a Polícia investiga a situação, com foco nos pais do bebê. A criança foi internada na na UTI, na cidade de Goiânia. O caso foi registrado na noite de segunda-feira (10), por volta de 22h30. Segundo reportagem da TV Anhanguera, a mãe da bebê informou ao Conselho Tutelar e à PM, o pai estava com a criança no colo quando percebeu que ela não estava bem.

Segundo relato do conselheiro tutelar Miqueias Duarte ao G1, ela notou que o bebê estava “molinho”: “A mãe disse que o bebê estava ‘molinho’ no colo do pai e acionou o Corpo de Bombeiros, que levou a criança ao hospital. A mãe foi junto acompanhando”.

A informação do Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), onde a criança segue internada, em Goiânia é de que o estado de saúde da bebê é grave e ela respira com ajuda de aparelhos.

O pai foi ouvido hoje pela delegada Kênia Duarte. Segundo a delegada: “O genitor do bebê afirma que é possível que tenha machucado sem intenção sua filha, ao abaixar-se, com ela em seu colo, para pegar um celular que estava sobre a cama, com a intenção de mudar o vídeo que ela assistia, bem como ao massagear o tórax dela para reanimá-la”.

A polícia aguarda laudo pericial: “Estamos aguardando os laudos periciais e as demais oitivas para verificar se a versão do pai procede, se as lesões foram causadas de forma intencional ou não”, disse Kênia.

Para ver a reportagem completa com maior detalhamento sobre o caso, acesse o G1.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!