Tayane Caldas, de 18 anos, teve o seu caso noticiado em rede nacional na data de de ontem. Ela teve o rosto tatuado à força pelo ex-namorado, Gabriel Henrique Alves Coelho, por não aceitar o término do relacionamento. Hoje, ao g1, a jovem disse que foi sequestrada e mantida em cárcere no fim de semana, momento em que foi tatuada, à força, com o nome do ex em seu rosto.

“Quando eu olhei, não era mais eu, não sou eu com isso aqui. Para mim, ele me matou por dentro, acabou comigo com uma forma de me marcar e dizer que eu sou propriedade dele”, disse Tayane.

Após a mãe da vítima fazer a denúncia, Gabriel Coelho foi preso e levado ao Centro de Detenção Provisória, Thayane disse que era vítima de violência doméstica e em outras duas vezes, o ex já tinha marcado com o nome dele tatuagens em seu seio e na virilha.
Thayane contou que saía de casa na sexta-feira (20) para ir a um curso, quando ele a abordou e obrigou que seguisse em seu carro com ele. Ela foi levada até a casa de Gabriel, onde passou por uma sessão de tortura, com agressões e ofensas.

Em um momento das agressões, Gabriel disse que faria uma terceira tatuagem nela com seu nome, mas agora no rosto.

“Logo depois das agressões, ele amarrou os meus dois braços e falou que ia tatuar meu rosto. Eu chorei, implorei. Eu pedi para ele não fazer isso porque ia destruir a minha vida e ela disse que faria mesmo assim. E enquanto eu gritava, ele me batia. Eu só vi a tatuagem pronta depois e só conseguia chorar”, disse.

Thayane tinha uma medida protetiva contra Gabriel e a mãe acompanhava a rotina da filha, que não saía sozinha de casa, com medo de que fosse pega pelo ex. Quando soube do sequestro, a mãe tentou conversar com o jovem que a encaminhou um áudio dizendo que não adiantava ela pedir, que nada ia mudar.

Segundo o g1, no sábado (21), a jovem voltou para casa e foi acolhida pela mãe com hematomas e a tatuagem cobrindo a lateral do rosto com o nome do ex-namorado. A mãe procurou a polícia e ele foi preso por descumprimento de medida protetiva que a jovem tem contra ele.

Na delegacia, o agressor apresentou um vídeo em que Tayane dizia permitir a tatuagem e com isso alegou o consentimento da jovem. A versão é investigada pela polícia, já que a jovem conta que esteve sob ameaça e amarrada durante a gravação. O agressor segue preso após passar por audiência de custódia.

A jovem foi ainda obrigada a gravar um vídeo no qual ela dizia concordar com a tatuagem.

Logo abaixo, segue reportagem da UOL que mostra detalhes e faz uma excelente abordagem sobre a situação:

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!