As pessoas, ultimamente, não têm medido as suas palavras tanto em suas vidas “reais” quanto no mundo virtual. Isso evidencia dois aspectos relevantes. O primeiro é a falta de cuidado com o outro; a ausência de preocupação e respeito no tocante aos seus sentimentos. O segundo, não sabemos se causa ou consequência do primeiro, explicitação do preconceito.

A apresentadora Maisa Silva valeu-se de suas redes sociais para mostrar a sua indignação diante de um episódio de racismo sofrido por seu pai, Celso Andrade. O pai da apresentadora foi alvo de comentários racistas envolvendo a quarentena.

“Meu pai que escutou de uma mulher hoje que tudo bem sair de casa, que as pessoas estão se apavorando à toa, porque só morre ‘negro e latino’, porque eles não têm convênio médico. Meu pai é preto”, contou Maisa, que já falou sobre o assunto outras vezes e chegou a relatar que está cansada de ver o pai ser tratado como ‘segurança’ dela em locais onde ele não é conhecido.

“Me sinto mal, péssima, horrível, triste. Conversamos, principalmente, porque eu cresci em uma família que é muito misturada. Mas isso me deu uma ‘noção’ maior, eu acho, tanto do meu privilégio quanto em tentar fazer minha parte para que essas ações não se repitam ou sejam admissíveis”, disse, com tristeza, a apresentadora.

Quantas vezes você leu que o vírus não é assim tão perigoso, pois “só mata velhos” e pessoas com comorbidades? Será que essas pessoas (que somam milhões em nosso país), são de algum modo menores que as demais para serem vítimas de um comentário como esse?

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!