Maria Fincher, mãe de Alex Fincher,  aprovou o relacionamento da sua filha com Ryan desde o início até o casamento. Ambos possuem síndrome de Down.  Contudo, em razão da condição genética a que estão submetidos os jovens, ela se opõe a que eles venham a ampliar a família. Ela não quer que tenham filhos.

Embora  Alex Fincher e Ryan John tenham todo o apoio da mãe da jovem em outros aspectos,  diante do desejo de ter filhos, a mãe da mulher se opôs fortemente  à ideia em entrevista.

Facebook: Alex Fincher

Alex e Ryan se conheceram em sua aula de teatro para pessoas com Down e logo se tornaram os melhores amigos. Foi quando  Ryan começou a sentir algo especial por sua amiga e  perguntou se ela queria ser sua namorada , ao que ela recusou educadamente, mas a amizade continuou sem problemas.

Mas… com o tempo, Ryan acabou conquistando a moça e eles tornaram um belo casal com a aprovação da mãe de Alex , Maria Fincher, de acordo com “Love Me As I Am: Untold Australia” da SBS.

O relacionamento cresceu com o tempo até o ponto em que Ryan se atreveu a pedir Alex em casamento. Com o amor e apoio dos parentes, ficaram noivos por dois anos até o grande dia do casamento.

Quando começaram a ver os preparativos, conversaram com a médium australiana sobre seu amor e se teriam filhos , ao que Alex respondeu: “Sim, isso seria bom “. Ryan também concordou, mas Maria deu uma resposta diferente.

Facebook: Alex Fincher

“Não há como Alex e Ryan terem filhos ”, respondeu a mãe à SBS , acrescentando: “Eles podem ter um cachorro”. Acontece que Maria pensou no que aconteceria se o casal não pudesse cuidar de seus filhos , então ela foi honesta sobre isso.
“Caberia a Glen e a mim criá-los e estamos envelhecendo. Nós simplesmente não podíamos criar outro filho. Não ”, respondeu ao programa , insistindo que não deveriam tê -los “em hipótese alguma”.

Esta opinião não foi ignorada pelas pessoas que viram o documentário sobre os amantes e não tardaram a criticar a mãe pelas suas declarações.

A diretora do grupo de deficientes Queensland Advocacy Incorporated, Michelle O’Flynn, rejeitou as declarações de Maria e apoiou o casal em sua decisão. “Em primeiro lugar, as pessoas com deficiência e as pessoas com síndrome de Down têm os mesmos direitos à integridade física, família e relacionamentos que qualquer um de nós, e não depende dos pais”, disse ele ao Daily Mail Australia .

Nas redes sociais, as opiniões ficaram divididas. Afinal, laços familiares não são tão simples de serem analisados. De fato  a gravidez da jovem imporia aos pais um grande e maior cuidado para com ela e também para com o bebê que iria chegar e os pais têm o direito de fazerem outros planos ou de envelhecer, afirmaram muitos.

Via UPSOCL

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!