Após demonstrar grande frieza após o falecimento de seu filho Henry Borel, de 4 anos, Monique Almeida Medeiros, passou a noite em claro e chorou durante toda a noite, a primeira em que passou presa. Ela permanecerá isolada em uma cela por 14 dias, pois corre risco de agressões por parte de outras detentas.

A juíza Elizabeth Louro, do 2º Tribunal do Júri decretou a prisão, por 30 dias, de Monique e do vereador Dr. Jairinho, indiciados pela prática do homicídio. Nos primeiros 15 dias, o casal necessariamente ficará isolado dos demais presos em razão da política preventiva quanto à covid-19. Contudo, como Monique não foi aceita pelas demais presas em virtude da natureza do crime que lhe é imputado (ela teria matado o próprio filho), ela certamente permanecerá em isolado ao findar a quarenta.

A prisão ganhou holofotes nacionais, tendo o casal casal sido preso em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Eles passariam a primeira noite presos, em cadeias diferentes.

Monique faz uso de remédios controlados. Mesmo assim, segundo o G1 apurou, passou a madrugada muito nervosa e chorando boa parte do período. Ela teria quebrado a sua aparente tranquilidade e cedido a um choro ininterrupto, ao anoitecer.

O G1 noticiou ainda que e Monique pode ficar mais tempo afastada de outras detentas, além do isolamento em uma cela pela quarentena que precisa fazer por causa da Covid. O motivo é que ela corre risco de ser agredida pelas outras presas.

Jairinho é levado a UPA
O vereador Jairinho também não reagiu bem em sua primeira noite na prisão. Ele chorou muito, conforme o G1 e estava visivelmente nervoso.

Durante o dia, ele chegou a ser levado à uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no interior do complexo. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) não informou o estado de saúde de Jairinho.

Leia mais sobre o caso Henry Borel

Abaixo, seguem imagens da cela em que Monique está aprisionada:

Fonte: G1

A Revista Pazes apoia as medidas sociais de isolamento.
Se puder, fique em casa. Evite aglomerações. Use máscara.
Quando chegar a sua vez, vacine-se.
A vida agradece!

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!