Nunca é tarde para recomeçar a vida, tampouco pedir reparação por injustiças do passado.

Meses depois de ser condenado injustamente pelo crime de homicídio, o norte-americano Juan Rivera obteve na penitenciária uma autorização para ser barbeiro dos demais presos.

Isso só foi possível graças à ajuda do guarda prisional Bobby Mattison, que acreditava na inocência de Juan.

Leia tambémMariana Xavier resgata live com Paulo Gustavo e emociona a internet: “Eu vou estar no céu com certeza”

Mais de três décadas depois, Bobby e Juan abriram uma ‘escola para barbeiros’, a Legacy Barber College em Rogers Park, Illinois (EUA). Claro, muita coisa aconteceu para que a dupla inaugurasse a oficina.

Quase 30 anos atrás, Juan Rivera pensou que iria morrer na prisão por um crime que não cometeu.

Enquanto estava cumprindo pena, Rivera conheceu o oficial correcional Bobby Mattison, que fez da barbearia da prisão uma das primeiras escolas de barbeiro do estado – tudo em um ambiente de segurança máxima.

Enquanto Rivera trabalhava para limpar seu nome, Mattison ajudou o ‘colega’ a obter sua ‘licença de barbeiro’ (necessária na prisão) e eles conversaram sobre ‘abrir uma escola de barbeiro’ juntos em algum momento no futuro.

Leia também: Bebê ferido em ataque a creche de SC ganhou alta médica no Dia das Mães

Há quase dez anos, em 2012, a condenação de Rivera foi anulada judicialmente. Como reparação, ele recebeu uma indenização de US$ 20 milhões pela condenação injusta.

Abrir a escola de barbearia, diz Rivera, é uma das melhores maneiras de ficar em paz com seu passado e olhar para o futuro. E mais: a Legacy Barber College busca ajudar os indivíduos arrolados judicialmente a se ressocializarem após o cumprimento da pena, de modo a terem uma vida de sucesso.

“Isso tudo começou, acredite ou não, na prisão”, disse Rivera. “Eu vi uma necessidade. Queremos ajudar os menos afortunados. Porque uma vez que eles saem, eles geralmente não têm nada para se apoiar”, completou.

Todos podem fazer parte da escola. Até agora, 8 alunos admitidos são da antiga comunidade de Rivera e outros 24 são estudantes do ensino médio ou universitário.

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

A Revista Pazes apoia as medidas sociais de isolamento.
Se puder, fique em casa. Evite aglomerações. Use máscara.
Quando chegar a sua vez, vacine-se.
A vida agradece!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS