Uma situação, sem dúvida, delicada está sob análise da Justiça.

De acordo com o G1, uma ex-funcionária de uma empresa de estética entrou na Justiça para receber indenização de seus antigos patrões. Ocorreu que, ao ser demitida, esqueceu-se de desconectar seu whatsapp do computador da empresa.
Entre os contatos dessa funcionária, estava a de uma outra funcionária da empresa. O sócio então acessou essa conversa e tirou diversos print. Elas falavam de um possível romance extraconjugal entre esse homem e outra funcionária.

A funcionária que conversava com a ex-empregada contou em depoimento que o sócio convocou uma reunião após saber do conteúdo das conversas. Nessa reunião, ele esclareceu que os boatos eram falsos e chamou a antiga funcionária de “falsa e incompetente”.

Uma ex-funcionária de uma empresa de estética deverá ser indenizada em R$ 6 mil por danos morais, após ter conversas particulares expostas em uma reunião com outros colaboradores, em Patos de Minas-MG. Segundo o Tribunal Regional do Trabalho, ela foi demitida e se esqueceu de sair do WhatsApp Web. Um dos sócios da empresa acessou o aplicativo e viu as conversas privadas da mulher.

De acordo com o G1, entre os contatos, estava a de uma outra funcionária da empresa. O sócio então acessou essa conversa e tirou diversos prints das conversas entre as duas, na qual elas falavam de um possível romance extraconjugal entre esse homem e outra funcionária.

A funcionária que conversava com a ex-empregada contou em depoimento que o sócio convocou uma reunião após saber do conteúdo das conversas. Nessa reunião, ele esclareceu que os boatos eram falsos e chamou a antiga funcionária de “falsa e incompetente”.

A empresa foi condenada em 1ª instância, tentou recurso, mas o relator, o juiz, Leonardo Passos Ferreira, manteve a decisão por entender que houve invasão da intimidade e privacidade da trabalhadora.

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!