Shinzo Abe, ex-primeiro-ministro japonês, após ser alvejado enquanto ontem discursava na cidade de Nara, no Japão, morreu na tarde desta sexta-feira (8), horário local.

A morte foi confirmada pela rede pública japonesa NHK e a agência Jiji. Ele foi atingido por volta das 11h30, levado de helicóptero ao hospital, mas não resistiu. Abe tinha 67 anos. O responsável pelo ataque é um ex-marinheiro de 40 anos, que foi preso. O atirador usou uma arma artesanal, que foi confiscada.

“Shinzo Abe foi transportado para o hospital às 12h20. Ele estava em estado de parada cardíaca na chegada. A reanimação foi administrada. No entanto, infelizmente, ele morreu às 17h03” (5h03 de Brasília), afirmou Hidetada Fukushima, professor de medicina de emergência no hospital da Universidade de Medicina de Nara, segundo informações da AFP.

O crime chocou o Japão, uma vez que o país tem um baixo nível de violência e leis muito duras contra a posse de armas.

Shinzo Abe era o mais antigo ex-primeiro-ministro do Japão – governou o país pela primeira vez durante o ano de 2006. Depois, voltou ao poder entre 2012 e 2020. Era um conservador linha-dura que promoveu a revisão da Constituição pacifista do Japão para reconhecer os militares do país e permaneceu politicamente relevante mesmo depois de deixar o cargo.

Logo após o ataque, Fumio Kishida, o atual primeiro-ministro do Japão, se pronunciou: “Rezo para que o ex-primeiro-ministro Abe sobreviva. É um ato bárbaro durante a campanha eleitoral, que é a base da democracia, e é absolutamente imperdoável. Condeno este ato nos termos mais fortes”.

“Ele estava fazendo um discurso e um homem veio por trás”, disse à rede NHK uma jovem que participava do evento. “O primeiro tiro parecia de um brinquedo. Ele não caiu, mas depois houve um estrondo alto. O segundo tiro era mais visível, você podia ver o estrondo e a fumaça”, acrescentou.

O governo criou um grupo para investigar o incidente!

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!