Com informações de GreenMe

Dentre as inúmeras benesses providas pelo desenvolvimento tecnológico à humanidade, certamente se encontra a minimização do sofrimento vivido por pessoas deficientes, historicamente deixadas à margem do convívio social, travando constantemente a luta por sua inclusão. A invenção destes dois jovens aponta nesse sentido, e o que é impressionante: eles tem apenas 16 e 17 anos.

Mateo Ibro e Antonio Falsetti, estudantes de Isis Facchinetti de Castellanza, na Itália, criaram uma ferramenta que promete promover como nenhuma outra a inclusão social de pessoas surdas-mudas, que enfrentam quotidianamente dificuldades imensas para se comunicar, dado que a maioria das pessoas não domina a linguagem de sinais. O ferramenta foi criada durante um projeto de educação digital da Microsoft, do qual os garotos participavam.

A invenção consiste em uma luva com anéis sensores conectados a um aplicativo de smartphone, capaz de traduzir a flexão dos dedos de quem se comunica por linguagem de sinais em uma voz artificial. Por meio da ferramenta e da possibilidade de se comunicar com quem não domina a linguagem de sinais, não é difícil prever quanto as pessoas surdas-mudas ganharão em termos de liberdade e autonomia.

A expectativa dos garotos é a de que a nova tecnologia não demore para estar disponível às pessoas que necessitam dela. Para passarem à comercialização do produto, já estão dialogando com os profissionais responsáveis por viabilizarem a obtenção da patente.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!