Ontem, no dia anterior à morte de Pelé, atleta do século, seu neto Octavio Felinto, filho de Sandra Regina Arantes do Nascimento Felinto, filha rejeitada por Pelé, teve a oportunidade de ver pessoalmente o avô.

O jovem visitou Pelé ontem, quarta-feira (28), e, em seguida, fez uma publicação em sua rede social:

“Errar e acertar fazem parte da nossa vida, nem tudo é mil maravilhas, toda família tem brigas e rusgas, a nossa não é diferente, mas a momentos que a união e o amor são mais importantes do que qualquer coisa. Agradeço a Deus por ter proporcionado esse momento, pois era o que minha mãe mais sonhava, tem coisas que uns plantam e outros colhem e nós estamos colhendo”, afirmou Octavio.

Em seguida, continuou: “Agradeço a quem ficou feliz por nós, estamos extremamente felizes e de antemão agradecer a todos da minha família, que foram extremamente receptivas e amorosas com a gente. Além disso, torcendo e orando pela melhora do nosso avô. Deus abençoe a todos e daqui para frente é uma nova história”.

A foto de Octávio e Gabriel foi postada por Kely Nascimento, sua tia, em seu perfil em uma rede social. Ela escreveu sobre a importância da união, no momento tão delicado:

“Esses momentos são difíceis de explicar. As vezes muita tristeza é desespero, outros momentos rimos e falamos de memórias divertidas. E o que mais aprendemos com tudo isso é que temos que buscar um ao outro, e segurar bem pertinho. Só assim que tudo vale a pena. Com todos juntos.”

Sandra nasceu em 24 de agosto de 1964, na cidade de Guarujá, em São Paulo. Ela entrou com uma ação na Justiça para ser reconhecida como filha de Pelé em 1991, quando tinha 27 anos. Ela alegava ser fruto do relacionamento entre o ‘Rei do futebol’ e a empregada doméstica Anízia Machado. A batalha judicial chegou ao fim cinco anos depois, em 1996, com a conclusão de que ela era sim filha biológica do ídolo do futebol.

A reação de Pelé durante o todo processo judicial surpreendeu até mesmo os fãs mais fiéis do ex-jogador do Santos. O craque insistia em negar a paternidade de Sandra, mesmo após o resultado do exame de DNA positivo, em 1992.

Apesar da vitória na Justiça, Sandra nunca recebeu o reconhecimento e amor do pai biológico. De acordo com o G1, Pelé preferiu não ter qualquer relação com a filha.

“Para mim, biologicamente, ela pode até ser minha filha. Mas, na parte sentimental, não posso me preocupar com essa pessoa, porque não a conheço”, declarou o ex-jogador na época.






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!