Imagina a sua empresa depositar uma verdadeira fortuna em sua conta, por engano? Você devolveria o valor ou sacaria e trataria de viver a “vida que pediu a Deus”?

Isso aconteceu com um funcionário de uma empresa chilena produtora de frios recebeu uma transferência de 281 milhões de pesos chilenos (cerca de 1,6 milhão). O funcionário tomou a segunda decisão: pediu demissão e fugiu com o dinheiro, segundo reportagem do jornal argentino Clarin. A empresa tenta reaver esse valor na Justiça.

A empresa tenta agora reaver o dinheiro na Justiça alegando “apropriação indevida”.

Conforme publicado pelo jornal Clarin, o dinheiro foi depositado na conta do empregado por um erro da área de recursos humanos da empresa. O trabalhador só teria descoberto que ficou milionário ao receber o seu salário de maio.

Primeiramente, o funcionário tentou disfarçar. Escondeu que havia recebido o dinheiro, mas quando a empresa percebeu o erro, informou que ele tinha que devolver o recurso. Contudo, o funcionário não apareceu à agência bancária no dia combinado para entregar o dinheiro que já tinha sacado.

Dias depois, foi seu funcionário quem procurou a empresa e infomrou que seu cliente não tinha a intenção de devolver o valor.

O patrões, então, decidiram processar o ex funcionário por apropriação indevida, alegando que o erro da empresa não teria dado ao funcionário o direito de ficar com o valor que não pertence a ele, insistindo que o dinheiro precisa ser devolvido ao seu “legítimo proprietário”.

O que você faria se estivesse no lugar do funcionário? De fato, trata-se de uma situação bastante peculiar.

Do jornal Clarin, via g1

RECOMENDAMOS






Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!