Lis e Mel nasceram no ano passado, no dia 1º de junho. Unidas pelo crânio e por parte do cérebro, aos dois meses de vida começaram o processo de preparação para cirurgia de separação. O procedimento, que por ser de alta complexidade demandou o trabalho de 50 profissionais da área de saúde, incluindo estrangeiros, foi realizado no último final de semana, ao longo de aproximadamente 20 horas.

A equipe médica concluiu contudo que, apesar das dificuldades inerentes ao procedimento, ele poderia ser levado a cabo sem risco de danos. Isso, dentre outras coisas, por se tratarem de pacientes saudáveis e que não tiveram o seu desenvolvimento motor comprometido pela junção das cabeças, uma vez que a junção não aconteceu, como é mais comum, pelo topo dos crânios (o que as teria obrigado a viver na horizontal).

Lis e Mel, que completarão um aninho em um mês, já são capazes de falar palavras simples, como “mama” e “papa”. Horas antes da cirurgia, a mãe explicou para elas que os médicos as colocariam para dormir. Quando acordassem, papai e mamãe estariam esperando as duas. A cirurgia, enfim, foi um sucesso e, após terem sido submetidas por alguns dias a coma induzido, Mel acordou nesta quinta-feira. Lis já havia acordado na terça (30).

Rodrigo Martins e Camila Vieira, pais das gêmeas, não conseguiram conter a alegria diante do resultado da operação: “Olhei minha filha e ela estava perfeita. Igual a uma boneca”, afirmou Camilla referindo-se à Lis, que foi a primeira a despertar depois da anestesia. Além do casal, Benício Oton de Lima, neurocirurgião que conduziu a equipe, disse que precisou pedir para os médicos irem embora, tamanho foi envolvimento emocional de todos. E não era para menos!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Revista Pazes
Uma revista a todos aqueles que acreditam que a verdadeira paz é plural. Àqueles que desejam Pazes!